Anterior1 de 4Próximo

Sporting CP e CD Santa Clara, quarto e oitavo classificado, respetivamente, defrontaram-se num jogo a contar para jornada 26 da Primeira Liga Portuguesa. Os “leões” procuravam uma vitória para se aproximarem do terceiro lugar e pressionar o SC Braga e a equipa de São Miguel queria roubar três pontos a um grande do futebol português, depois de não vencer há três jogos.

Estádio de Alvalade registou meia casa, 28129 espetadores, com os adeptos leoninos esperançosos de um resultado positivo da equipa. Dos Açores também vieram alguns adeptos que ainda se ouviram em momentos do jogo. Houve ainda tempo antes do apito inicial para prémios e homenagens. Bruno Fernandes recebeu o prémio de melhor médio do mês e melhor jogador do mês da Liga Portuguesa e Coates foi homenageado pelas 150 vezes que já envergou a camisola verde e branca.

Pouca história para contar sobre o primeiro tempo que só não deu sono aos adeptos porque o setor dedicado às claques leoninas estava incansável no apoio à sua equipa. As duas formações entraram muito a dormir no jogo e a posse de bola concentrava-se somente no meio de campo. Nenhuma das equipas conseguia criar perigo nas balizas adversárias, muito por culpa das defesas, e pouco fizeram para isso.

O Sporting CP tentava através de bolas paradas conseguir, efetivamente, marcar o primeiro golo na partida, porém, não foi por esta situação que os “leões” conseguiram fazer os remates mais perigosos. O CD Santa Clara apostava numa defesa mais recuada e esperava que os atacantes conseguissem chegar perto da baliza de Renan através de contra-ataques. Talvez a coesão a defender da equipa vinda de Ponta Delgada foi o ponto mais positivo da primeira parte.

Aos 22 minutos, o primeiro remate surgiu mesmo por parte da equipa açoriana com Renan a estar atento ao pontapé fraco. Logo na jogada seguinte, foi Acuña que respondeu com um remate de fora da área e Marcos, guarda-redes do CD Santa Clara, defendeu com tranquilidade.

O Sporting CP estava com grandes dificuldades na construção de jogo e a equipa encontrava-se muito estática no campo. Aos 37 minutos, uma boa combinação na esquerda do ataque entre Bruno Fernandes e Raphinha resultou num remate do médio brasileiro, mas Marco, que realizou uma primeira parte imaculada, conseguiu defender. O CD Santa Clara esperava um erro dos “leões”, que aconteceram em algumas situações, contudo, nem desta forma se criava perigo perto da baliza de Renan.

O intervalo chegou e o marcador mostrava um nulo na partida. A segunda parte pedia golos e também que o jogo se tornasse muito melhor do que aquele que se praticou no primeiro tempo.

Marcel Keizer, treinador do Sporting CP, deve ter dado, e de que maneira, um grande sermão aos seus jogadores e os “leões” entraram com outra determinação para a segunda parte. Bruno Fernandes foi o primeiro a tentar logo aos 45 minutos com um remate ainda fora de área e com segurança estava lá novamente o guarda-redes do CD Santa Clara.

No minuto seguinte, foi a vez de Raphinha criar perigo perto da baliza açoriana. Bruno Fernandes foi aventurando-se para o ataque até que descobriu à entrada da área e o 21 do Sporting CP rematou com grande perigo. O brasileiro só não contava com a grande defesa de Marco, que com a ponta dos dedos evitou o golo “leonino”. Ainda se gritou o início da palavra “golo”, todavia, não foi.

Aos 53 minutos, um lançamento de linha lateral do CD Santa Clara do lado direito quase que ia sendo fatal para os “leões”. A bola foi parar no miolo da área sportinguista e o que salvou os verdes e brancos foi a desinspiração de Chrien, que falhou um golo quase certo para os açorianos.

Bruno Fernandes e Raphinha foram dois dos elementos mais esclarecidos dos leões
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

E quem não marca sofre… foi o que aconteceu à equipa de Ponta Delgada. Uma desatenção da defesa do CD Santa Clara, possivelmente a única no encontro, ditou o golo dos “leões”. A dupla Bruno Fernandes Raphinha apareceu novamente no jogo e, desta vez, a dar muitos frutos. O português apareceu na esquerda e encontrou no lado contrário o brasileiro número 21, que sem qualquer problema rematou com força para o fundo da baliza.

Estava feito o primeiro golo na partida e os adeptos “leoninos” respiravam agora com mais tranquilidade. O problema é que o Sporting CP recuou muito no campo e a qualidade de jogo, depois do golo, baixou consideravelmente e os adeptos não gostaram. O contrário aconteceu com o CD Santa Clara que procurava agora encontrar o caminho para a baliza de Renan para conseguir, pelo menos, o empate.

Porém, depois do golo a partida voltou ao rendimento da primeira parte. Um jogo demasiado parado e com muitas perdas de bola tanto de um lado como do outro. O Sporting CP teve oportunidades para criar lances de perigo, mas quando os médios apareciam para encontrar Bas Dost na área açoriana, o holandês não correspondia aos passes.

Até ao final do jogo o perigo não rondou mais nenhuma das balizas. E os assobios, esses não faltaram no final do jogo quando a equipa leonina foi agradeceu aos seus adeptos. Nas bancadas, provavelmente, pedia-se mais raça da equipa num jogo que devia ter sido fácil para os “leões”.

Ainda assim, o Sporting CP vence o CD Santa Clara e conquista três pontos preciosos na luta pelo terceiro lugar, que é ocupado pelo SC Braga e que só joga amanhã. Já os açorianos voltam a perder para o campeonato e veem a oitava posição em risco, pois o Portimonense SC, em caso de vitória, pode subir um lugar na tabela classificativa.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

Sporting CP: Renan Ribeiro (GR), S. Coates, Bruno Fernandes, Acuña, Ristovski, Raphinha, Mathieu, Borja (Diaby, 57’), Bas Dost, Wendel, Doumbia (Miguel Luís, 75’)

CD Santa Clara: Marco (GR), Fábio Cardoso, César M., J. Lucas, Kaio, B. Lamas, Chrien (Ukra, 69’), M. Evouna (Zé Manuel, 58’), Francisco R., Patrick, G. Schettine (Pablo Lima, 82’)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários