Anúncio Publicitário

sporting cp cabeçalho 1No jogo do “tudo ou nada”, o Sporting recebia a Juventus para a 4.ª jornada da Liga dos Campeões. Duas semanas após terem jogado em Turim (os italianos venceram por 2-1), as duas equipas voltavam a encontrar-se, desta vez em Lisboa, e o conjunto leonino queria desta vez alcançar um triunfo, que poderia ser importante para se manter na luta pelo apuramento para a próxima fase da Liga milionária.

No que toca aos onzes iniciais, Jorge Jesus mudou cinco peças face ao último jogo disputado (vitória por 0-1 frente ao Rio Ave), devido às lesões de Piccini e Mathieu e baixas de última hora de Fábio Coentrão e William Carvalho, colocando Ristovski, André Pinto, Jonathan Silva e Battaglia de início. Quanto aos visitantes, Massimiliano Allegri fez também alterações em relação à partida antes do compromisso europeu (bateu por 0-2 o AC Milan), fazendo atuar Alex Sandro, Barzagli e De Sciglio, trocando por Asamoah, Rugani e Lichtsteiner.

A partida até começou de feição aos leões: a equipa portuguesa começou a partida com um pressing muito alto, com o trio atacante, juntamente com a dupla de Brunos – César e Fernandes, a darem trabalho à defesa italiana. E a estratégia resultava, com o primeiro remate da partida a surgir ao minuto 11, com Bruno César a rematar por cima da baliza de Buffon. E se não conseguiu à primeira, foi à segunda: tudo começou numa jogada fantástica de Gelson Martins do lado direito, a tirar do caminho dois adversários, e de seguida a atirar cruzado para grande defesa de Buffon; a bola ficou a pairar à entrada da área e no remate de ressaca, na passada, Bruno César fazia o primeiro golo do jogo.

Anúncio Publicitário

Nem mesmo a pronta reação da Juventus, logo ao minuto 21 com Khedira muito perto do golo, de cabeça, atenuou o bom momento do Sporting. Os primeiros 25 minutos foram do “leão”, que dominava, era mais perigoso e dava um bom espetáculo aos seus adeptos, com boa nota artística.

A partir daqui e até ao intervalo, manteve-se o domínio leonino, mas de uma forma mais estratégica. O Sporting soube gerir a posse de bola, soube defender com frieza e parecia ter aprendido a lição, não recuando totalmente e mantendo uma pressão muito alta por parte dos homens da frente. Contudo, não houve mais remates até ao apito para o intervalo, sendo alguns pormenores técnicos e as más decisões do árbitro – Clément Turpin saiu de orelhas quentes – os pontos mais fortes de interesse.

Fonte: Bola na Rede
Fonte: Bola na Rede

No início dos segundos 45 minutos, os dois treinadores decidiram não fazer substituições, mantendo os mesmos jogadores em campo. A Juventus entrou com vontade de retificar o resultado, mas o Sporting parecia quer manter a postura evidenciada na 1.ª parte, em que impediu eficazmente a equipa visitante de criar oportunidades de perigo para a baliza de Rui Patrício. Mandzukic e Pjanic dispuseram das primeiras oportunidades do segundo tempo para tentar empatar o jogo, contudo, ambos não foram bem-sucedidos. A equipa leonina ia aproveitando as recuperações de bola a meio-campo, para lançar rápidos contra-ataques, com o objetivo de ampliar a sua vantagem: Bas Dost, ao minuto 62, falhou por milímetros o 2-0, após cruzamento de Bruno Fernandes. Vendo que o conjunto italiano iria começar a carregar no ataque, Jorge Jesus decidiu substituir o autor do golo por João Palhinha, numa troca para reforçar o miolo defensivo. Já Allegri tirou De Sciglio e pôs Douglas Costa, para tentar ter mais homens na frente de ataque.

Ao minuto 69, Rui Patrício fez uma espetacular defesa a cabeceamento de Higuaín, após uma jogada de insistência da Juventus, no que poderia ter sido o golo do empate. Pouco tempo depois, foi Dybala a rematar, mas novamente Patrício opôs-se bem à tentativa do argentino. O cerco ia aumentando e o empate ia-se adivinhando, o que se confirmou: Híguain desta vez bateu Rui Patrício, picando a bola por cima do guardião português, ao minuto 79. Os últimos minutos iriam ser certamente bastante frenéticos, uma vez que um golo para qualquer um dos lados ajudaria uma das equipas a colocar-se em vantagem para o apuramento. Ao minuto 88, Bruno Fernandes rematou de longe, embora o remate não tenha criado dificuldades a Buffon. Até final, não houve mais ocasiões de perigo e o jogo terminou empatado a um golo.

O Sporting rubricou mais uma bela exibição na Liga dos Campeões, mas não conseguiu levar de vencida a Juventus. Com este resultado, a equipa de Jorge Jesus ainda mantém as hipóteses matemáticas de se apurar para a próxima fase.

Anúncio Publicitário