A CRÓNICA: JOVANE DE PÉ QUENTE COM NUNO MENDES EM DESTAQUE

O Sporting CP procurava nesta noite isolar-se no 3.º lugar e pressionar o SC Braga, que só joga amanhã, em casa do FC Famalicão. O CD Tondela, por seu lado, procurava somar pontos na importante luta pela permanência, apesar de estar até ao momento numa zona tranquila da tabela classificativa. No Sporting CP Nuno Mendes estreou-se a titular, enquanto Mathieu e Plata foram também novidades em comparação com o jogo frente ao FC Paços de Ferreira. Já no Tondela mudou apenas duas unidades no seu onze: Jaquité e Murillo entraram para os lugares de João Pedro e António Xavier.

O Sporting CP começou com mais posse – como tem sido habitual – e também mais perigoso. E foi preciso esperar apenas treze minutos para ver o primeiro golo em Alvalade. Após uma boa jogada de Gonzalo Plata, a equipa da casa beneficiou de um livre direto à entrada da grande área. Na cobrança, Jovane Cabral fez novamente o gosto ao pé e com um remate potente e colocado, fez o primeiro da partida, onde Cláudio Ramos não teve qualquer hipótese de defesa.

Já aos 29 minutos, Nuno Mendes combina bem na esquerda com Jovane Cabral e conquista penalty. O esloveno Sporar assumiu a cobrança e não falhou, fazendo assim o 2-0 na partida. O CD Tondela só ameaçou aos 34 minutos, após um livre com uma bola longa colocada na grande área, com a bola a embater no poste da baliza leonina após um corte defeituoso de Mathieu. O Sporting chegava com justiça ao intervalo na frente do marcador. A melhor exibição até agora, bastante completa da equipa de Rúben Amorim, criando muitas dificuldades ao Tondela.

Na segunda metade, seria de esperar uma resposta do CD Tondela. Apresentou-se (bem) melhor face à primeira parte e tentou a espaços responder à desvantagem, ainda que de uma forma tímida, apesar de acabar a segunda metade com mais remates que a equipa da casa. O Sporting CP apresentou novamente algumas dificuldades em ter o jogo como controlado, depois de se encontrar em vantagem, possivelmente fruto da juventude que apresenta em campo e que foi caindo de produção ao longo do jogo.

Anúncio Publicitário

Uma segunda parte com um ritmo baixo e poucas (ou nenhumas) oportunidades claras de golo. Apenas de salientar uma boa jogada por parte do esloveno Sporar para o Sporting CP e um remate do médio Jaquité para o CD Tondela que obrigou Maximiano a desviar por cima da baliza. O Sporting CP resolveu na primeira parte e adormeceu na segunda, mas fez o suficiente para sair de Alvalade, fruto também da incapacidade do CD Tondela, com mais três pontos.

A FIGURA

Fonte: Sporting CP

Nuno Mendes – Após a estreia com a principal camisola leonina, fez hoje a sua estreia como titular substituindo Acuña na ala esquerda. E que jogo! Com apenas 17 anos (faz 18 anos no dia de amanhã) apresentou-se sereno, confiante e com uma maturidade acima da média. Definiu bem os ritmos, sabendo quando devia de acelerar ou não, estando muito envolvido quer ofensiva, quer defensivamente. Procurou dar profundidade e esteve ligado ao lance que dá o 2-0 ao Sporting CP após boa combinação com Jovane Cabral. Uma exibição que deixa água na boca aos adeptos leoninos e que deixa assim bons sinais, sendo certo de que irá somar mais minutos no que resta jogar da presente época. Jovane Cabral merece também destaque, pelo golo (mais um) mas por tudo que fez e foi fazendo até final da partida.

O FORA DE JOGO

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Rafael Camacho – Não é por falta de oportunidades que o jovem leonino poderá ter razão de queixa. Tem sido aposta constante por parte de Rúben Amorim, mas vai também de forma constante demonstrando todas as suas lacunas. Mal posicionado em organização defensiva, lento na transição defensiva. Pouco critério, pouca assertividade, cruzamentos sem nexo. Enfim! Mais um jogo em que demonstra ser a peça mais fraca no atual contexto leonino e vai começando a ficar com pouco espaço de manobra e para continuar a somar erros. Ristovski (ou até mesmo Rosier, até pelo investimento que foi) podem começar a reclamar mais minutos. No Tondela, destaque pela negativa para a linha defensiva, que apresentou muitas dificuldades na partida.

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

O Sporting CP apresentou-se novamente no seu 3x4x2x1. Gonzalo Plata, Jeremy Mathieu e Nuno Mendes entraram para os lugares de Luciano Vietto, Cristian Borja e Marcus Acuña. O Sporting CP começou melhor no jogo e resolveu cedo a partida. A equipa está melhor e mais segura nas ideias de Rúben Amorim que aos poucos parecem começar a assentar na identidade leonina.

Mas há ainda muito a melhorar, sobretudo nas equipas com blocos mais baixos e nas fases de criação e construção. Os médios acabam por participar pouco e por ter pouco espaço para aparecer e a equipa acaba por ser forçada a jogar por fora, tornando-se um pouco previsível no seu jogo e demonstrado a espaços, falta de opções e soluções. Há ainda espaço para melhorar também na parte em que é necessário fazer a gestão de jogo.

O Sporting CP tem apresentado alguma dificuldade na segunda metade das partidas e é necessário melhorar para evitar que ocorram futuras quebras de ritmo e rendimento. Mas foi no computo geral um Sporting CP competente e que vai assentando o modelo em cima de vitórias. Sexta vitória consecutiva em Alvalade a contar para a Liga NOS – o melhor registo desde janeiro 2019. O Sporting CP de Rúben Amorim continua invicto com três vitórias e um empate, sete golos marcados e dois sofridos.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Luis Maximiano (6)

Eduardo Quaresma (7)

Sebastian Coates (7)

Jeremy Mathieu (6)

Rafael Camacho (3)

Matheus Nunes (5)

Wendel (6)

Nuno Mendes (8)

Gonzalo Plata (6)

Jovane Cabral (8)

Sporar (6)

SUBS UTILIZADOS

Cristian Borja (4)

Stefan Ristovski (4)

Rodrigo Battaglia (4)

Francisco Geraldes (4)

Pedro Mendes (-)

ANÁLISE TÁTICA – CD TONDELA

A equipa apresentou-se em 4x4x2 e o Tondela mudou apenas duas unidades no seu onze: Jaquité e Murillo entraram para os lugares de João Pedro e António Xavier. A equipa apresentou-se muito tímida na primeira parte, não fazendo qualquer remate à baliza leonina. Tardou em perceber a melhor forma de anular a equipa leonina e conseguiu equilibrar quando colocou mais médios no miolo, conseguindo também aproveitar os espaços que a equipa leonina dava entrelinhas.

Melhorou na segunda parte, ficou mais aguerrida e tentou chegar-se à frente. Acaba com mais remates na segunda parte, mas não foi o suficiente para conseguir assustar a equipa da casa, sempre com algumas tomadas de decisão precipitadas. Os lances de mais perigo surgiram quase sempre de bolas paradas. A equipa foi às costas de Pepelu que foi o melhor elemento dos forasteiros. Apesar da derrota, a equipa está confortável na tabela e irá continuar na luta (e confirmação) da manutenção.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Claudio Ramos (4)

Marko Petkovic (4)

Phillipe Sampaio (4)

Yohan Tavares (4)

Filipe Ferreira (5)

Murilo (5)

Jaquité (6)

Pepelu (7)

Ricardo Valente (5)

Richard (5)

Ronan (5)

SUBS UTILIZADOS

Ricardo Alves (5)

Tiago Almeida (4)

Jonathan Toro (5)

Rúben Fonseca (4)

Pedro Augusto (-)

Comentários