Anterior1 de 3Próximo

sporting cp cabeçalho 2

O Sporting CP venceu hoje o Portimonense SC por 2-0, em jogo a contar para a décima quinta jornada da Primeira Liga. Em noite fria de domingo, a equipa leonina precisava de uma vitória para fugir aos rivais, que só jogavam depois, e destacar-se provisoriamente na liderança do campeonato. Para isso, Jorge Jesus apostou no seu onze inicial mais forte e habitual, com a manutenção de Podence a ser a única nota de destaque. Já o treinador Vítor Oliveira, “obrigado” a retirar do onze o emprestado Oriol Rosell, voltou a chamar à equipa titular o avançado Wellington.

A partida começou animada: primeiro foi o Sporting, com Daniel Podence, na cara de Ricardo Ferreira, mas pressionado pelo defesa, a atirar contra o guardião português, logo ao primeiro minuto de jogo; segundos depois foi Paulinho, com um brilhante trabalho individual dentro da área, a atirar muito por cima da baliza leonina.

E as pilhas não se gastaram nos primeiros instantes, pelo contrário. Ainda não marcava o relógio o oitavo minuto de jogo, quando Bruno Fernandes marcou o primeiro golo, servido na perfeição por Daniel Podence com um fantástico passe a rasgar. A assistência parte de um trabalho individual soberbo do avançado do Sporting, com o número oito leonino a desviar lentamente para a baliza portimonense.

O bom início do Sporting, de resto, manteve-se, com fluxo ofensivo e com nota artística. Bas Dost esteve perto do golo por duas vezes, mas ambos os lances não tiveram sucesso e acabaram anulados por fora-de-jogo. O domínio leonino até continuou no restante da primeira parte, mas ficavam na retina as constantes hesitações no momento da finalização da equipa verde-e-branca. Já o Portimonense foi mais prático: esteve praticamente meia-hora sem chegar à área de Rui Patrício, até que ao minuto 34 Shoya Nakajima atirou ao lado da baliza do Sporting, após fantástico passe de Lumor. Alvalade gelou, mas a bola acabou por passar lentamente ao lado do poste direito.

Para voltar a aquecer o ambiente e já perto do intervalo, Cristiano Piccini ia marcando um golaço. Tirou do caminho o defesa do Portimonense com uma habilidade e rematou do “meio da rua”, com a bola a passar a centímetros do golo. Segundos depois, Fábio Coentrão tentou melhor sorte, mas cabeceou para a bancada. Ainda antes do intervalo, houve tempo para a equipa algarvia tentar marcar por duas vezes, sem grande perigo, e para Bas Dost tentar mais uma vez o golo, desta vez cortado perto da linha pelo defesa Lucas Possignolo. Uma primeira parte cheia de oportunidades, mas que terminava, assim, com 1-0 para o Sporting.

Os festejos dos jogadores e adeptos no golo de Bruno Fernandes, o primeiro da partida Fonte: Bola Na Rede
Os festejos dos jogadores e adeptos no golo de Bruno Fernandes, o primeiro da partida
Fonte: Bola Na Rede

Já a segunda parte começou sem alterações táticas nos dois lados e com o Portimonense a tentar alcançar o golo do empate nos minutos iniciais – Fabrício, ao minuto 50, tentou a sua sorte, mas o remate saiu fraco. Na resposta, foi Gelson Martins a desperdiçar uma boa oportunidade para fazer o segundo do Sporting, após um bom cruzamento de Daniel Podence. Pouco depois, Vítor Oliveira sofreu um duro revés: Hackman viu o segundo amarelo ao minuto 55, após uma dura entrada sobre Acuña e foi expulso por João Capela, deixando assim a sua equipa reduzida a dez elementos. O Sporting aproveitou e dilatou a vantagem no marcador: Bas Dost apontou o seu décimo terceiro golo na Liga ao minuto 60, na sequência de um cruzamento de Gelson Martins e desvio intencional de Bruno Fernandes, que fez a bola chegar ao pés do avançado holandês.

Jorge Jesus fez uma dupla substituição: fez entrar Bruno César e Battaglia para os lugares de Acuña e Daniel Podence, respetivamente. Ao minuto 71, os “Leões” estiveram pertíssimo de chegar ao 3-0: após um livre bem trabalhado, Gelson Martins cruzou mas ninguém conseguiu colocar a bola dentro da baliza à guarda de Ricardo Ferreira. Bruno Fernandes estava com vontade de fazer mais golos e até tentou marcar de pontapé de bicicleta ao minuto 75, mas o seu remate não levou muita potência e foi facilmente defendido pelo guardião visitante.

Com o objetivo de ainda conseguir alcançar algo de positivo no encontro, Vítor Oliveira colocou em campo Wilson Manafá e Bruno Tabata, ambos avançados, mas as alterações não tiveram qualquer efeito prático, uma vez que o Sporting não deu qualquer hipótese ao Portimonense de visar a baliza de Rui Patrício. Até ao apito final, nota apenas para a entrada de Bryan Ruiz para o lugar de William Carvalho.

A vitória por duas bolas a zero assenta perfeitamente à equipa de Jorge Jesus, que assim se mantém na frente do campeonato e sabe que irá passar o Natal no topo da classificação.

 

Anterior1 de 3Próximo

Comentários