A época 2019/2010 começa oficialmente neste Domingo, quando a bola começar a rolar com o jogo da Supertaça Cândido de Oliveira. Não há grandes surpresas nos convocados do lado do SL Benfica, apenas a baixa de última hora do reforço Caio Lucas. O SL Benfica parte com favoritismo para este jogo, sendo que, foi uma equipa que perdeu pouco da sua espinha dorsal e do plantel que alcançou o campeonato no ano transato.

É neste equilíbrio que Lage trabalhou e continua a trabalhar, estando já com um processo muito mais sólido. O SL Benfica deverá alinhar com: Vlachodimos, Nuno Tavares, Rúben Dias, Ferro e Grimaldo; Pizzi, Gabriel, Florentino e Rafa; Seferovic e RDT. Uma equipa que irá ser muito pressionante e irá condicionar a saída de bola do Sporting CP desde a primeira fase de construção/pressão e retirar assim o controlo do jogo aos leões e tentando condicionar a saída e provocar erros. Não tenho dúvidas de que o SL Benfica irá tomar as rédeas e o controlo do jogo.

Do lado dos Leões, há algumas surpresas na convocatória. Thierry Correia é chamado e dos reforços apenas Neto, Eduardo e Vietto é que têm lugar nas escolhas de Marcel Keizer, enquanto que Rafael Camacho, Jovane ou até mesmo Plata perderam espaço na luta com Diaby. Creio que o Sporting CP tem tudo para entrar mais pressionante no jogo, de modo a tentar anular nos momentos iniciais a iniciativa do SL Benfica e que com o decorrer do jogo, tente ser mais cauteloso e aí sim apostar sobretudo nas transições ofensivas, visto que chega rapidamente com muitos homens à frente.

Apesar do favoritismo estar do lado da equipa campeã nacional e de, na minha opinião, Marcel Keizer ter feito algumas escolhas menos boas na convocatória, o Sporting CP tem armas para conseguir surpreender as águias. E é isso mesmo que se pede: uma surpresa. Que Marcel Keizer consiga tirar um coelho da cartola, como já fez em alguns casos na época transata.

Anúncio Publicitário

Enquanto que o onze titular do SL Benfica será aquele, à partida, mais provável, é então do lado dos Leões que existe uma maior imprevisibilidade. Marcel Keizer ao longo da pré-época testou vários sistemas de jogo e algumas rotinas novas. Foi possível ver o Sporting CP actuar em várias vertentes de algumas formações como 4x3x3, 4x2x3x1 ou até o 4x4x2. É por isso que existe a maior dúvida sobre de que modo irá o Sporting CP abordar esta partida. Se há dúvidas no sistema táctico que irá utilizar, existem também dúvidas nas escolhas de alguns jogadores. Não consigo entender de todo a inclusão de Tiago Ilori e de Diaby. São duas peças a menos e que nada acrescentam ao jogo.

Analisando então as várias hipóteses que referi anteriormente a nível de sistema táctico, aliando a isso a escolha de jogadores, creio que o Sporting CP terá aqui algumas dores de cabeça. A que será, na minha opinião, a chave de todo este encontro entre rivais, será o posicionamento de Bruno Fernandes e – caso seja titular – de Luciano Vietto. Vimos nos últimos jogos o posicionamento de Bruno Fernandes passar do centro do terreno para a faixa esquerda, trocando com o reforço argentino de posição. Isto retira aquilo em que o Sporting CP e o próprio internacional português são mais fortes: remates de meia-distancia, estar próximo de zonas de finalização e sobretudo explorar o espaço concedido entrelinhas. Será por aqui que Marcel Keizer poderá “surpreender” o SL Benfica. É aqui que o médio decide melhor e é aqui que o Sporting CP irá precisar dele.

Começando pelo 4x3x3 creio que o Sporting CP poderia estar mais equilibrado, pois possui um ‘6’ puro, mas por outro lado, acabaria por perder um pouco as suas características de transição ofensiva e de jogo posicional. Apesar disso, Doumbia é mais 8 do que 6 e o Sporting CP poderia ressentir-se dessa escolha e por outro lado, também ser obrigado a puxar Vietto para uma das linhas, onde o jogador não rende tanto como no meio. Posto isto, creio que o 4x3x3 poderá não ser viável e creio que será de todas a que menos passará pela cabeça de Marcel Keizer.

Se utilizar o 4x2x3x1 e usar Doumbia e Wendel como duplo-pivot, Bruno Fernandes a 10 com Vietto a descair na esquerda e na frente Luiz Phellype, o Sporting CP ganha critério no meio, visto ter o seu melhor jogador na zona onde tem de jogar e ganha um maior conforto defensivo, sobretudo porque o avançado brasileiro acrescenta maior pressing face ao holandês Bas Dost e também porque consegue no momento ofensivo ser uma mais valia e mais assertivo na transição defesa-ataque, algo que Bas Dost não é tão forte.

Temos ainda o sistema que foi utilizado curiosamente diante os dois adversários mais fortes (Liverpool FC e CF Valência), que é o 4x4x2. Isto beneficia Vietto jogando atrás do ponta de lança, mas por outro lado prejudica Bruno Fernandes se for arrastado para a linha. A solução poderia passar por colocar Vietto no banco e colocar Acuña como médio-esquerdo, dando também maior estabilidade nesse corredor no processo ofensivo – ainda que o SL Benfica procure atacar certamente mais pelo lado esquerdo.

E por recear esses mesmos movimentos e sobreposições dos laterais, fazendo com que o SL Benfica chegue muitas vezes a zonas de finalização com seis elementos, é que o Sporting CP também poderá utilizar o 3x5x2/3x4x3. Isto permitiria utilizar Vietto e Bruno Fernandes como avançados mais interiores, mas acabaria por colocar Raphinha no banco. Daria também uma maior segurança no ponto de vista defensivo, sobretudo com a adição de Neto ao eixo composto por Coates e Mathieu, que podem perfeitamente assegurar as dobras aos alas.

Somente perto da hora do jogo é que serão desfeitas todas as dúvidas
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Em suma, creio que o próprio treinador Marcel Keizer não terá até ao momento uma decisão tomada. Poderá jogar pelo “seguro” e continuar no 4x4x2 que tem vindo a trabalhar ultimamente ou como já fez noutros jogos, tentar alterar aqui um pouco o plano e a estratégia de modo a tentar surpreender. Creio que irá actuar com Renan, Thierry Correia, Coates, Mathieu, Borja, Raphinha, Wendel, Doumbia, Bruno Fernandes, Vietto e Luiz Phellype, caso utilize o 4x4x2, de modo a tentar ser mais pressionante, mas ao mesmo tempo mais eficaz nas transições ofensivas.

Ainda assim, serão as escolhas que Marcel Keizer fizer para figurar no onze titular que irá certamente ditar a forma de jogar da equipa. No lugar de Coates poderá perfeitamente alinhar Neto – que tem estado a um bom nível; ou até mesmo Acuña poderá entrar no lugar de Borja ou de Vietto, deixando Bruno Fernandes no meio-campo.

Estou curioso para ver a abordagem e a decisão de Marcel Keizer e para saber se terá a coragem de arriscar e tentar surpreender ou se irá tomar uma postura mais cautelosa. É importante ter Bruno Fernandes na sua zona de eleição e isso só irá beneficiar a equipa verde e branca. A equipa ainda apresenta debilidades no processo defensivo, algo que acontece (ainda) à semelhança da época anterior.

Neste capítulo, o Sporting CP deu-se melhor e mostrou-se mais equilibrado e pragmático quando utilizou um esquema com três centrais, onde Bruno Fernandes poderá ter esse papel mais central e de jogar nas costas do avançado. No entanto, o jogo de futebol é cada vez mais dinâmico e num instante uma equipa que esteja em 4x4x2 em organização ofensiva, poderá passar por exemplo para um 4x3x3 como organização defensiva e a polivalência dos jogadores leoninos poderá permitir isso também.

SABES QUEM VAI GANHAR A SUPERTAÇA? PARTICIPA AQUI!

Resta aguardar para perceber como se vão encaixar as duas equipas e que estratégia trazem para o jogo. Começa a contagem decrescente naquele que será um derby eletrizante e que dá o pontapé de saída da nova temporada.

Foto de Capa: Sporting CP

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários