Anterior1 de 2Próximo

Caro, amigo.

É com toda a sinceridade que te envio este email, para que possas talvez entender algumas coisas que eventualmente tenham “passado ao lado” dos demais, mas não a mim, porque nunca poderiam passar.

Foi sem dúvida um regalo para os olhos e para os corações dos vila condenses este nosso clube a jogar à bola. Uma primeira metade do campeonato onde demonstraste toda a tua qualidade, assente num futebol bonito, suficientemente objectivo e capaz de fazer frente a qualquer clube do nosso campeonato.

No entanto, e com o passar da época, este Rio Ave FC já não é, de alguma forma, o mesmo que era.

Sei que o mercado de Inverno te levou aquele que era o nosso mais virtuoso jogador e com isso perdemos, inevitavelmente, alguma qualidade. Mas também sei de toda a qualidade que o nosso plantel possuía e continua a possuir.

A verdade é que os últimos tempos me têm deixado alarmado. Já não jogamos como antigamente, e se em alguns jogos ainda se disfarça isso, há outras situações que me custam a entender.

Nos últimos oito jogos temos um pecúlio demasiado fraco: sete pontos em 24 possíveis. Duas vitórias, um empate e cinco derrotas. sete golos marcados e 18 (!!!) sofridos. Isto significa que ganhámos por duas vezes em casa: 3-0 ao CS Marítimo e 2-1 ao CD Feirense (com alguma sorte), um empate a zero também nos Arcos com um Aves que poderia ter aqui vencido, e cinco derrotas em outras tantas deslocações.

Longe parecem os tempos em que Miguel Cardoso era galardoado com prémios individuais
Fonte: Rio Ave FC

Os resultados são o que são e muitas vezes não espelham o que se passa em campo. Por vezes uma derrota, mesmo que por números “gordos” pode significar muito pouco. No entanto, as que temos tido, a meu ver, significam muito. Significam que podíamos ter o apuramento europeu praticamente assegurado e afinal vamos andar, muito provavelmente, a fazer contas e a ter que estar atentos aos jogos dos outros “europeus” até bem perto do fim da época.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários