A CRÓNICA: MAIS UM MARCO AÇORIANO NA EUROPA

A Liga das Conferências chegou aos Açores com a segunda mão do confronto entre CD Santa Clara e FC Shkupi, e trouxe consigo publico ao Estádio de S. Miguel. Na primeira mão, os Bravos Açorianos venceram por 3-0 na Macedónia do Norte. Ainda assim, estava tudo em aberto para esta eliminatória.

Na primeira parte, vimos um Santa Clara por cima do jogo. O primeiro quarto de hora ficou marcado pela pressão que a equipa açoriana coloca na equipa forasteira, que acabou por ceder. Apesar do Shkupi, sempre que tinha a posse de bola, tentar sair a jogar e a criar linhas de passe, o Santa Clara pressionava e acabava por cortar esses mesmos passes.

Anúncio Publicitário

Aos 12 minutos, a superioridade traduziu-se em golo. Lincoln foi atrás da bola e cruzou para Carlos Jr. que, de cabeça, colocou a redondinha no fundo das redes, inaugurando assim o marcador.

Se pensávamos que o ritmo ia baixar estávamos enganados. O Santa Clara continuou a pressionar e a criar linhas de passe para chegar com mais facilidade à baliza da equipa macedónica. Prova disso foi o lance aos 38 minutos: depois dum canto batido por Lincoln, Mikel fez o segundo golo da partida, um golo impossível para o guarda-redes defender. A superioridade numérica no marcador manteve-se até ao intervalo.

A segunda parte da partida começou com a equipa açoriana a entrar melhor. No entanto, o Shkupi não se deixou ficar para trás e dificultou um pouco a vida à turma de Daniel Ramos, mas não por muito tempo. Apesar de tentar sair a jogar, não causava qualquer perigo para a baliza de Marco Pereira. O ritmo de jogo acalmou e as situações de golo não foram muitas. Os guarda-redes tiveram a situação controlada e sem muito trabalho até final.

Fez-se história nos Açores e os Bravos Açorianos de Daniel Ramos continuam na Liga das Conferências. A próxima viagem nesta competição é à Eslovênia. Só nos resta desejar boa sorte nesta próxima fase!

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Carlos Júnior – O brasileiro voltou a mostrar-nos a sua qualidade exemplar. Onde está a bola, está Carlos Júnior pronto para marcar e dar a vantagem à sua equipa. Hoje não foi exceção e foi uma figura importante na partida, uma vez que manteve a velocidade na ala e garantiu velocidade à sua equipa.

 

O FORA DE JOGO

Faustin- O médio senegalês estava mal posicionado por diversas vezes e foi por ali que o Santa Clara acabou por criar perigo e chegar à baliza com uma maior facilidade. Jogo falhado do atleta do FC Shkupi.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD SANTA CLARA

A equipa de Daniel Ramos apresentou-se com o esquema tático 4-2-1-3. Com essa escolha procurou usar o miolo para ter mais posse e criar mais linhas de passe. Conseguiu também ter mais alguma velocidade nas alas para chegar mais facilmente à baliza de Naumovski.

Carlo Jr. foi importante nesse campo bem como Jean Patric e Sagna. João Afonso e Villaneuva continuaram a ser fundamentais para manter a equipa da Macedónia longe das redes de Marco Pereira.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marco Pereira (5)

Mansur (5)

Villanueva (5)

João Afonso (5)

Sagna (5)

Morita (6)

Nené (5)

Lincoln (6)

Jean Patric (6)

Rui Costa (4)

Carlos Jr (7)

SUBS UTILIZADOS

Anderson Carvalho (4)

Paulo Henrique (5)

Costinha (4)

Crysan (4)

Bouldini (4)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC SHKUPI

A equipa de Goce Sedloski apresentou-se com o esquema tático 3-4-3. Uma das principais diferenças da primeira para a segunda mão foi a sua agressividade. As mudanças na equipa permitiram tornar a equipa mais agressiva e deixar o Santa Clara mais vulnerável para conseguir criar linhas de passe e tentar marcar.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Naumovski (3)

Iljazi (5)

Rwatubyaye (3)

Ismaili (3)

Sheji (4)

Ali (4)

Faustin (3)

Alvarez (6)

Trapanovski (3)

Gjorgjievski (6)

Cvetanoski (3)

SUBS UTILIZADOS

Cheshmedjiev (3)

Markoski (4)

Djurkovski (3)

Zuka (3)

Abazi (4)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD SANTA CLARA

BnR: Qual a análise que faz desta partida histórica?

Daniel Ramos: Fomos surpreendidos pela equipa do Shkupi. Eles mudaram a sua maneira de ver o jogo, tentaram ser mais agressivos e conseguiram tirar a tranquilidade por alguns momentos. Isso fez com que perdêssemos bolas e faltou-nos ler melhor o jogo. Apesar disso, fomos fazendo o nosso jogo e conseguimos chegar à vantagem. Isso deu-nos tranquilidade para a equipa se soltar mais. O segundo golo deu mais segurança. Tivemos uma segunda parte menos irreverente, uma exibição mais segura. Procuramos envolvência, mandar no jogo e procurar oportunidades. Concedemos mais oportunidades ao Skhupi do que queria mas também houve mérito deles. Acho que a vitoria foi ajustada ao jogo que foi e esta é, sem dúvida, uma passagem histórica para o clube.

 

FC SHKUPI

BnR:  Uma vez que o resultado da primeira mão foi negativo para a sua equipa, qual foi o mindset para o jogo de hoje?

Goce Sedloski: Quero congratular o Santa Clara pelo seu jogo. Eles foram a melhor equipa em campo. No primeiro jogo, a nossa equipa estava com medo e tinha muito respeito pelo Santa Clara. O golo do primeiro jogo aconteceu devido a um erro da nossa equipa e, para este jogo, procuramos fazer algumas alterações. Saibamos que ia ser um jogo difícil mas fico feliz com a exibição da minha equipa, principalmente na segunda parte.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome