logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Club Atlético de Madrid Jogadores

Manchester United FC 0-1 Club Atlético de Madrid: “Colchoneros” apuram-se em Old Trafford

A CRÓNICA: ATLÉTICO OBJETIVO RESOLVEU A ELIMINATÓRIA DIANTE DO MANCHESTER UNITED

Sem a influência dos golos fora, a eliminatória entre Manchester United e Club Atlético Madrid seguia empatada, depois do 1-1 em Madrid.

O Manchester United FC começou a partida muito pressionante, obrigando o Club Atlético de Madrid a recuar e a falhar vários passes. Apesar de ter mais posse de bola e estar mais perto da grande área adversária, os ingleses não conseguiram levar perigo à baliza de Oblak. Exceção para Elanga que, em boa posição na grande área, rematou contra a face do guarda redes esloveno, na sequência de um cruzamento de Bruno Fernandes.

À medida que os minutos passavam, os Colchoneros conseguiram sair em contra-ataque e De Paul, de meia distância, obrigou De Gea a efetuar uma grande defesa. Pouco depois, boa combinação do ataque espanhol, Félix chegou a introduzir a bola na baliza, mas foi assinalado fora de jogo a Llorente, que assistiu o internacional português.

A quatro minutos do intervalo, os avisos ganharam significado. Nova transição rápida do Atlético, com Félix a combinar com Griezmann e o internacional francês de forma oportuna a assistir Renan Lodi que atirou para o fundo da baliza de De Gea.

Já nos descontos da primeira parte, Bruno Fernandes atirou para uma boa defesa de Oblak.

No segundo tempo, o Manchester voltou a entrar forte, com uma boa oportunidade por Elanga, que atirou para fora junto ao poste da baliza. A equipa da casa sentia-se mais pressionada para empatar a eliminatória, enquanto que o Atlético estava confortável no jogo e continuava a explorar o espaço livre na defesa adversária resultado das linhas adiantadas do United. De Gea teve de se aplicar perante um novo remate bem colocado de De Paul.

Já o Manchester, ia tendo oportunidades, mas não conseguia ser eficaz. Depois da hora de jogo, Rangnick decidiu refrescar e arriscar para tentar chegar ao golo.

Aos 77´, os ingleses estiveram muito próximos de chegar ao golo, na sequência de um livre, Varane cabeceou para defesa de Oblak, que ainda defendeu a recarga de Ronaldo.

Até ao fim, o United apertou o cerco, mas não conseguiu chegar ao golo. O Atlético, mais eficaz e personalizado, conseguiu eliminar os ingleses, em Old Trafford.

 

A FIGURA

Renan Lodi – Num jogo em que o grande destaque foi o coletivo do Atlético, em termos individuais, o internacional brasileiro foi o maior destaque. Fez o golo decisivo, fez a assistência para Félix fazer o 2-0, mas o português chegou atrasado. Foi importante também na defesa ao recuar muitas vezes, dando apoio ao lateral do seu lado, Reinildo.

 

O FORA DE JOGO

Maguire – O capitão não conseguiu colocar ordem na defesa nas transições rápidas do Atlético. No golo colchonero, é do lado do internacional inglês que a bola chega a Griezmann, que estava nas suas atacas. Nas incursões ofensivas, nomeadamente nas bolas paradas, também não foi eficaz.

 

 ANÁLISE TÁTICA – MANCHESTER UNITED FC

O United jogou em 4-4-2, com Ronaldo a ser o elemento com maior liberdade de movimentos e a aparecer muitas vezes nos corredores laterais e também junto a Bruno Fernandes e a Fred. Dessa forma, o meio campo do United ficava reforçado. McTominay era o responsável pela ligação dos centrais com o meio campo. Já no ataque, A pressão alta exercida sobre os defesas do Atlético obrigava os adversários a recuar e permitia que a equipa de Rangnick estivesse mais próxima da grande área adversária. Destaque também para as novidades nas laterais, com Alex Telles, à esquerda, mais adiantado, e Dalot, do lado contrário, mais recuado e a derivar para dentro, perante a presença de Elanga no corredor. No ataque, sem uma referência pura na grande área, era principalmente Elanga que vinha para junto dos centrais, em momento ofensivo.

Na segunda parte, já em desespero, Rangnick retirou elementos do meio campo e da defesa para ganhar presença na grande área. O cerco à grande área do Atlético foi bem conseguido, mas sem eficácia.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

De Gea (7)

Dalot (5)

Maguire (5)

Varane (5)

Alex Telles (6)

McTominay (5)

Bruno Fernandes (6)

Fred (5)

Sancho (5)

Elanga (6)

Ronaldo (6)

SUBS UTILIZADOS

 Matic (6)

Rashford (6)

Pogba (5)

Cavani (5)

Mata (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – CLUB ATLÉTICO DE MADRID

Perante a pressão da linha ofensiva adversária, o Atlético Madrid foi obrigado a recuar as suas linhas na primeira parte. Félix era uma ilha no ataque Colchonero, com Griezmann a recuar para dar apoio nas alas. Nas alas, Llorente e Lodi preocupavam-se sobretudo em dar apoio ao lateral do seu lado respetivo. Em 4-5-1 em momento defensivo, com um meio campo reforçado, a equipa treinada por Diego Simeone não tinha muitas oportunidades para sair para o ataque, mas à medida que os minutos passavam, os espanhóis conseguiram encontrar espaço para efetuar transições rápidas e levar perigo à baliza de De Gea.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Oblak (7)

Renan Lodi (7)

Savic (7)

Gimenez (7)

Reinildo (6)

De Paul (7)

Herrera (7)

Koke (6)

Llorente (7)

João Félix (7)

Griezmann (7)

SUBS UTILIZADOS

 Kondogbia (-)

Felipe (-)

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

Curioso em múltiplas áreas, o desporto não podia escapar do seu campo de interesses. O seu desporto favorito é o futebol, mas desde miúdo, passava as tardes de domingo a ver jogos de basquetebol, andebol, futsal e hóquei nacionais.

FC PORTO vs CD TONDELA