Nomes como os de Aleksandr Kozlov, Vyacheslav Krotov e Dmitri Kayumov foram usados para preencher essa ansiedade de criação de um novo Spartak a partir da sua academia e por um motivo ou outro as suas promissoras carreiras acabaram num quase esquecimento total, sendo que apenas Krotov, aos 24 anos de idade, joga na primeira liga russa, ao serviço do FC Ufa, onde está longe de ser um titular indiscutível.

A Davydov resta-lhe trabalhar e aguardar por uma oportunidade ao mais alto nível, sabendo-se desde já, ainda que para desgosto de muitos, que não será certamente um novo Fyodor Cherenkov (um dos melhores jogadores de sempre da ex-URSS formado no FC Spartak Moscovo) e muito menos um “Messi Russo”, como, num momento de profunda infelicidade, Leonid Fedun conjecturou.

O golo de Davydov no passado Sábado diante do FC Tosno

Foto de capa: Sport Express

Anúncio Publicitário