Anterior1 de 4Próximo

sporting cp cabeçalho 1

Defrontaram-se, para a nona jornada do Campeonato Nacional de Andebol, a equipa do ADA Maia/ISMAI e do Sporting Clube de Portugal. Antes do jogo, os maiatos encontravam-se na oitava posição do Campeonato com 16 pontos e a equipa dos Leões estava em segundo lugar com 24, apenas a um ponto do rival Benfica. A equipa maiata e a formação de Alvalade, apesar de equipas com objetivos distintos para a temporada, proporcionaram bons momentos de Andebol do Pavilhão Municipal da Maia.

Se pudéssemos resumir a partida numa frase diríamos apenas o seguinte: foi um jogo onde a equipa dos Leões esteve sempre por cima da equipa do ISMAI. No entanto, logo no início do encontro, a equipa maiata, talvez galvanizada pelo facto de jogar em casa, entrou destemida em disputar um resultado diferente daquele que se verificou no final. Mas a qualidade da equipa dos Leões acabou por impor-se e suplantar essas aspirações iniciais maiatas. Aos 12 minutos de jogo, o resultado já era favorável aos leões por 4-8.

A equipa do Sporting começou com Manuel Gaspar na baliza, Carlos Carneiro a Central, Edmilson Araújo a lateral esquerdo, Felipe Borges a ponta esquerda, Frankis Carol a lateral direito e Francisco Tavares a ponta direita. Nos momentos defensivos, o Sporting atuou no seu habitual sistema 6×0, marcados por momentos de elevada agressividade defensiva, cortando as investidas do ISMAI à baliza de Manuel Gaspar. Destaque, no plano ofensivo, para os remates de Edmilson Araújo e de Frankis Carol. A aposta do treinador leonino Hugo Canela no pivot Tiago Rocha para iniciar a partida revelou-se frutífera uma vez que o português de 32 anos correspondeu com uma atuação de bom nível, bastante móvel no ataque, dando dores de cabeça constantes à defesa maiata.

A equipa do ISMAI revelou ser uma equipa bem organizada, com boas qualidades individuais. Neste plano, destaque para o Central António Ventura, sempre muito esclarecido em campo, Senhor de remates fortes e de elevado recorte técnico. Os seus remates foram uma constante durante todo o jogo. No plano coletivo, regista-se uma equipa em processo de formação, com elementos carregados de potencial mas ainda pouco maduros, algo que a equipa dos Leões têm de sobeja. E isso foi determinante para o resultado final deste jogo.

Na primeira parte, sinal bastante positivo para a prestação do ponta esquerda leonino, Felipe Borges, que desafiou várias vezes com sucesso o guarda-redes maiato Manuel Borges. Ao minuto 18, Hugo Canela mexe na equipa leonina e coloca Carlos Ruesga nos momentos ofensivos do jogo e Bjelanović nos momentos defensivos. Mas Ruesga entra para lateral direito, continuando Carlos Carneiro na posição de Central.

Os últimos minutos da primeira parte foram muito mexidos de parte a parte: o Sporting tentava aumentar a distância de golos face ao ISMAI e estes queriam reduzir a todo o custo a margem que já se verificava no marcador a favor da turma de Alvalade. Foi, neste momento do jogo, que Manuel Gaspar espantou a assistência que acorreu ao pavilhão da Cidade da Maia, realizando defesas de elevada qualidade técnica e mostrando, em terras maiatas, que as suas recentes exibições não têm sido fruto do acaso. No final da primeira parte, o placard marcava 10-22 a favor da equipa dos Leões.

A segunda parte inicia com duas alterações na equipa dos Leões: entra, para Pivot, o eslovaco Michal Kopkco saindo Tiago Rocha e entra também Janko Bozovic para a posição de lateral direito, saindo o cubano Frankis Carol. A equipa soltou-se mais, criou maior envolvência ofensiva e empurrou a equipa do ISMAI que, nesta altura, viu jogar o Sporting jogar Andebol. Veio ao de cima toda a maturidade da equipa do Sporting. À equipa do ADA Maia restava-lhe apenas aproveitar algumas falhas leoninas para, no contra-ataque, tentar fazer golos. Destacou-se, na segunda parte, o guarda-redes do ISMAI Ricardo Castro que entrou na segunda parte. Mas, apesar da sua boa prestação, não conseguiu anular a avalanche ofensiva leonina: ao minuto 40, o resultado estava nos 16-28.

Ao minuto 45 entra o internacional português Pedro Portela, ocupando a posição de lateral direito, deixando a ponta direita para o jovem talento Francisco Tavares que passeou a maturidade dos seus 20 anos no pavilhão municipal da Maia. O Sporting, estando com uma vantagem confortável no marcador, aproveitou para colocar alguns pupilos da sua formação em ação: ao minuto 51 entra para a ponta esquerda dos Leões o jovem de 19 anos Bruno Gaspar, saindo aquele que foi certamente dos melhores, senão mesmo o melhor jogador da partida: Felipe Borges.

O Sporting continuava por cima e o ISMAI ia fazendo o jogo possível perante um Sporting com outros argumentos para disputar o Campeonato Nacional. O final da partida ditou, por isso, a vitória inequívoca e indiscutível do Sporting do Prof. Hugo Canela com um resultado categórico de 29-39.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários

Artigo anteriorA questão Eduardo Salvio
Próximo artigoWWE Live em Lisboa: Um regresso fenomenal!
O Simão é psicólogo de profissão mas isso para aqui não importa nada. O que interessa é que vibra com as vitórias do Sporting Clube de Portugal e sofre perante as derrotas do seu clube. É um Sportinguista do Norte, mais concretamente da Maia, terra que o viu nascer e na qual habita. Considera que os clubes desportivos não estão nos estádios nem nos pavilhões, mas no palpitar frenético do coração dos adeptos e sócios.                                                                                                                                                 O Simão escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.