Diamond League – Meeting de Oslo 

Quando: Quinta-Feira (07.06). As provas começam às 17h. Transmissão Televisiva para Portugal na Sport TV 1 a partir das 19h.

400 Metros Barreiras (M): O evento tem estado nas bocas do mundo nos últimos tempos e os protagonistas estão todos aqui. Karsten Warholm, o surpreendente campeão mundial de Londres, compete em casa, dias depois de ter batido o recorde sub-23 europeu e o recorde nacional absoluto norueguês, mas terá como grande rival Abderrahman Samba, o atleta do Qatar que tem centrado todas as atenções depois de ter batido dois recordes de meetings da Diamond League em dois eventos apenas, sendo que em Roma bateu o recorde asiático e o recorde absoluto da Diamond League, correndo mais rápido do que alguém o fez nos últimos 8 anos. 

A prova de Roma

Anúncio Publicitário

Os atletas voltam-se a encontrar dias depois em Estocolmo, em outro reencontro que promete ferver. Aqui em Oslo ainda terão a companhia de Kerron Clement, que é “só” o atual campeão olímpico! 

Milha (M): O nome do evento é “Dream Mile” e adequa-se na perfeição! A representar os atletas da casa, teremos os irmãos Filip e Henrik Ingebrigtsen. Filip é o campeão europeu nos 1500 metros e surpreendeu nos Mundiais de Londres ao arrecadar a medalha de Bronze. Henrik já foi 5º em Jogos Olimpicos e foi o… campeão europeu dos 1500 em 2012! Mas a prova contará com nomes como Bethwell Birgen, que este ano já foi Bronze nos 3000 dos Indoor de Birmingham ou Taresa Tolosa, Prata nos Mundiais Sub-20 de há dois anos nos 1500 e que este já venceu o meeting de Doha nessa mesma distância. Ainda assim, o favorito deverá mesmo ser o campeão mundial dos 1500 metros, o queniano Elijah Manangoi, que este ano já venceu os Jogos da Comunidade Britânica na Gold Coast. 

3000 Metros Obstáculos (F): Foi uma das grandes provas de Roma. A campeã mundial, Emma Coburn, voltou a mostrar ser um osso duro de roer para as quenianas e é bom que as mesmas se habituem à sua presença na frente das provas, depois do Bronze no Rio e do Ouro em Londres. Coburn, que estava no trio da frente, caiu no último fosso de água, mas ainda assim foi a tempo de terminar na quarta posição e com o quinto melhor tempo norte-americano da história! A vencedora nesse dia foi Hyvin Kiyeng, a queniana que foi Ouro nos Mundiais de Pequim e Prata no Rio e ela também aqui estará pronta para voltar a levar a vitória. Aisha Praught-Leer, a campeã dos Jogos da Commonwealth, confessou-se dececionada com a sua performance em Roma (8ª em 9:19.33) e espera também dar aqui uma imagem melhor. 

Triplo Salto (F): Pode parecer estranho destacarmos uma prova que não conta com Yulimar Rojas, mas a verdade é que a qualidade do field feminino é aqui fortíssima. Claro que à cabeça e a liderar as atenções temos Caterine Ibarguen, a estrela colombiana que já venceu por 4 vezes o Diamante e já venceu 30 (!) meetings da competição. 

Caterine Ibarguen: 30 vitórias na Diamond League!
Fonte: IAAF

Ela saltou 14.80 metros em Xangai, uma marca que foi líder mundial por…algumas horas! É que nessa mesma madrugada, Tori Franklin foi a Guadalupe esmagar o seu recorde pessoal e bater o recorde nacional norte-americano com um salto de 14.84 metros, naquela que é a actual marca líder mundial. Tori estará aqui, acompanhada por duas jamaicanas numa forma fantástica: Shanieka Ricketts que foi segunda em Xangai com 14.55 e Kimberly Williams, que começou o ano com uma Prata nos Mundiais Indoor e com a revalidação do Ouro nos Jogos da Commonwealth, com o seu novo recorde pessoal de 14.64 metros. Dois nomes gigantes, já mais habituados a estas andanças, são os da ucraniana Olha Saladukha e da Cazaque Olga Rypakova. Saladukha, ex-campeã mundial e Bronze olímpica, já começou a época a saltar mais do que o fez em todo o 2017 e Rypakova estrear-se-á em 2018 aqui em Oslo, depois de um 2017 onde foi medalha de Bronze nos Mundiais de Londres, num estádio onde já tinha sido Ouro nos Olímpicos de 2012. 

Lançamento do Peso (M): Em Eugene, tivemos um concurso histórico, em que pela primeira vez na história 4 atletas ultrapassaram os 21.60 metros. Ryan Crouser venceu aí com 22.53 metros, um novo recorde do reputado meeting e em todas as 4 competições que fez este ano lançou acima dos 22 metros, sendo difícil não lhe atribuir algum favoritismo. E dizemos algum porque pela capital norueguesa estará também Tom Walsh, o neozelandês que lidera o ranking mundial e que no ano passado sagrou-se campeão mundial em Londres. O nome dos dois está presente nos 7 melhores lançamentos da temporada e será com certeza outra prova de enorme qualidade. Destaque ainda óbvio para a presença de Joe Kovacs, o medalhado de Prata no Rio e Ouro nos Mundiais de Pequim que este ano ainda não chegou aos 21 metros, mas que tem que ser sempre um nome a ter em conta.