O meeting do Mónaco, pertencente ao circuito Diamond League, voltou a não desiludir. O Stade Louis II presenciou grandes prestações com direito a recordes pessoais, nacionais, do meeting e até recordes mundiais! A Diamond League volta já neste fim-de-semana com a etapa de Londres separada em dois dias com Pablo Pichardo e Nelson Évora em prova no sábado.

O Meeting do Mónaco – Herculis
O Mónaco recebeu mais uma etapa da Diamond League
Fonte: Bola na Rede

Estivemos presentes no Stade Louis II no nosso primeiro meeting Diamond League desta temporada. Cedo deu para perceber porque é que esta paragem é uma das preferidas dos atletas. É verdade que o Mónaco é algo que não é especialmente excitante em termos de entretenimento e variedade.

Sim, cheira a dinheiro por cada rua, mas isso em nada disfarça a atmosfera artificial de um local que de identidade própria muito pouco tem – prova disso é que à entrada do estádio eram dadas bandeiras do Mónaco…francesas…ou italianas para os fãs escolherem! De qualquer forma, o ambiente no estádio em tudo contrasta com essa artificialidade do principado monegasco. Por ali se percebe que o público percebe de Atletismo. Vive cada prova como se fora uma final global e trata os atletas como verdadeiras estrelas.

Claro que tudo isso tem também uma explicação: as bancadas do Estádio Louis II não são cheias por residentes do Mónaco. Na verdade, nas bancadas deu para perceber que existe gente a viajar de todos os pontos do sul de França e até das ilhas e norte italiano.

Pudemos também vislumbrar as bancadas cheias de crianças e adolescentes, sendo que os convites às escolas de Atletismo são um aspeto muito positivo deste meeting. Chegámos a conversar com uma equipa de 18 jovens vinda da ilha italiana da Sardenha! É de realçar a comunhão destes jovens atletas (e futuras estrelas) com as atuais estrelas da modalidade, sabendo os nomes de cada atleta como se de verdadeiros especialistas de Atletismo se tratassem.

Stade Louis II com as bancadas compostas para este meeting no principado monegasco
Fonte: Bola na Rede
A nível de organização não é, ainda assim, uma organização cinco estrelas (fica atrás de Londres ou Bruxelas, por exemplo). Existiu alguma desorganização na entrada e saída dos espetadores e não existiu atividades fora do estádio para os mais jovens se divertirem (ao contrário do que acontece em várias etapas DL). A organização aproveitou pouco a enorme afluência de jovens, o que poderia até proporcionar momentos únicos para esses fãs – muitos com cartazes pendurados durante os 120 minutos, indo para casa sem qualquer assinatura dos seus ídolos.

1
2
3
Artigo anteriorEusébio Cup: o eterno golo do Benfica
Próximo artigoOs 10 jogadores que se destacaram na Summer League
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.