Anterior1 de 3Próximo

Decorreu neste sábado o meeting de Paris, o último meeting Diamond League antes das duas finais (Zurique e Bruxelas) que se disputam nas próximas duas semanas. O meeting serviu como última possibilidade de qualificação para muitos atletas, mas foram aqueles que já tinham presença garantida nas finais que brilharam, mostrando estar já numa grande forma a pouco mais de um mês do início dos Mundiais de Doha.

Noah Lyles é o novo rei da velocidade. Havia dúvidas?

Na velocidade, o grande destaque da noite tem que ir para Noah Lyles. O jovem norte-americano não se cansa de mostrar que está noutro patamar no que aos 200 metros diz respeito e parece muito difícil alguém conseguir intrometer-se no seu caminho para o Ouro dos Mundiais que se aproximam. Hoje correu em 19.65 segundos, batendo um recorde do meeting que pertencia desde 2013 a…Usain Bolt (19.73).

Não é só com a obtenção deste recorde que Lyles cruza o seu caminho com o do astro jamaicano. Aos 22 anos e um mês esta é a oitava vez que o norte-americano baixa dos 20 segundos, algo que Bolt apenas fez com 23 anos. Entre 2017, 2018 e 2019, Lyles tem apenas uma derrota nos 200 metros e parece mais do que pronto para o que aí vem.

No feminino, a jamaicana Elaine Thompson voltou a mostrar boa forma nos 100 metros, vencendo em 10.98 segundos. Outra jamaicana, Stephenie McPherson, saiu vencedora dos 400 metros em 51.11 segundos, batendo todas as melhores norte-americanas que estarão em Doha.

A líder mundial não desiludiu
Fonte: Meeting de Paris

Surpresas no meio-fundo

Na prova de 800 metros femininos, sete mulheres correram abaixo dos dois minutos, o que impressiona ainda mais se tivermos em conta que Ajee Wilson (a favorita para Doha) não estava presente, nem qualquer britânica (os Nacionais britânicos são neste fim de semana), a que acresce o facto de já não termos em prova as atletas com níveis elevados de testosterona. Venceu a norte-americana Hanna Green com um grande final, em 1:58.39s. No masculino, o contrário aconteceu com o vencedor. O canadiano Brandon McBride parecia que chegava em câmara lenta, mas isso não o impediu de fazer uma grande marca, ao terminar com 1:43.78s.

Já nos 1.500 metros, Jakob Ingebrigtsen não esteve, desta feita, à altura das expetativas e terminou atrás do seu irmão Filip, no 4º posto (3:31.33s). Jakob esteve mal taticamente, deixando-se enrolar nos perigos que só uma corrida de 1.500 metros apresenta e nunca conseguiu estar na frente. A vitória foi, mais uma vez, para Ronald Musagala, do Uganda, que igualou o seu recorde nacional, com 3:30.58s, com mais uma ponta final muito forte, naquilo que é já a sua imagem de marca.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários