A PARTICIPAÇÃO PORTUGUESA EM MUNDIAIS

Portugal participou em todas as 16 edições (esta será a 17.ª) dos Mundiais, que decorreram de quatro em quatro anos entre 1983 e 1991, passando depois a realizar-se a cada dois anos. A nível de medalhas de Ouro, seis atletas portugueses já alcançaram essa honra por uma vez na história: Rosa Mota (Maratona, Roma 87), Fernanda Ribeiro (10.000 metros, Gotemburgo 95), Manuela Machado (Maratona, Gotemburgo 95), Carla Sacramento (1.500 metros, Atenas 97), Nelson Évora (Triplo Salto, Osaka 07) e Inês Henriques (50 km Marcha, Londres 17).

No total foram 21 medalhas alcançadas por portugueses em todas as edições de Mundiais, sendo que os mais medalhados da história nacional são Fernanda Ribeiro e Nelson Évora, ambos com quatro medalhas. Os campeonatos onde tivemos mais finalistas (1.º ao 8.º) foram os de Atenas em 1997, com seis atletas e também foram esses campeonatos, a par dos de Gotemburgo dois anos antes, os campeonatos em que alcançámos mais medalhas, com quatro em cada um deles.

CURIOSIDADES DA ATUAL COMITIVA

A Marcha continua um sector que dá cartas em Portugal
Fonte: COP

➕ Pela primeira vez na história, Portugal terá cinco atletas no Triplo. Por género, tanto no masculino (dois – Nelson Évora e Pedro Pichardo), quanto no feminino (três – Patrícia Mamona, Susana Costa e Evelise Veiga) é também recorde o número de atletas. Os atletas presentes no Triplo representam 1/3 de toda a nossa seleção, sendo que três deles já estão qualificados para os Olímpicos do próximo ano.

Anúncio Publicitário

➕ Também pela primeira vez, Portugal contará com duas atletas no Disco feminino, com a presença de Irina Rodrigues e Liliana Cá, repetindo a presença em grandes campeonatos, depois de o terem feito nos Europeus do ano passado.⠀

➕ João Vieira irá igualar Susana Feitor na tabela dos atletas nacionais com mais participações em Mundiais (11). Inês Henriques consolidará o seu lugar como o 3.º atleta com mais presenças no global e 2.ª no feminino (9 presenças), todos eles provando o forte peso da Marcha no contexto internacional.⠀

➕ Nos Saltos, Nelson Évora é, por larga margem, o atleta com mais presenças em Mundiais e chegará a Doha aos sete Mundiais. Passará também a ser isolado o 2.° atleta masculino com mais presenças (em todas as disciplinas e não apenas saltos).⠀

➖ Em 17 edições dos Mundiais, esta é a 4.ª comitiva nacional mais pequena (15). Menos atletas apenas nos Mundiais inaugurais em Helsínquia ’83 (11), em Paris ’03 (14) e em Moscovo ’13 (12). Nos últimos Mundiais, em Londres, foram 20 atletas a representar Portugal.⠀

➖ É a primeira vez na história que não existe qualquer atleta nas provas de corrida masculina (englobando pista e estrada).⠀

➖ É também a primeira vez que as provas de meia e longa distância femininas em pista não têm qualquer representante.⠀

ℹ  Ao contrário do equilíbrio verificado em Londres, em Doha o Sporting será o clube claramente mais representado: oito atletas pertencem aos leões, sendo que o Benfica se faz representar por três atletas. A Academia Fernanda Ribeiro, o CN Rio Maior, o CO Pechão e a A. Novas Luzes fazem-se representar por um atleta cada.

Comentários

Artigo anteriorAntevisão de uma futura chicotada
Próximo artigoCampeonatos do Mundo de Ciclismo de Estrada – Mixed Relay TTT: Campeões previsíveis e surpresa caseira
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.