Anterior1 de 4Próximo

Cabeçalho modalidadesA mais do que esperada centésima edição da Volta a Itália já chegou e com ela temos uma prova bastante virada para a média e alta montanha. Desde o dia 5 até ao dia 28 de Maio poderá acompanhar as maiores emoções e o espetáculo provenientes de um pelotão de incrível qualidade. A grande novidade da prova, além das poucas oportunidades para os sprinters em etapas planas, é o facto de que, à 16.ª etapa, os ciclistas terão de subir duas das montanhas mais “temidas” numa Volta a Itália, subindo duas vezes uma dessas montanhas, e duas etapas depois terão de subir outras 5 montanhas em menos de 140 km’s… mas já vamos ao percurso.

Numa prova que servirá de grande homenagem a algumas lendas do ciclismo, a Eurosport irá transmitir, em direto e exclusivo, aquele que é o primeiro Grand Tour ou Grande Volta da temporada no mundo do ciclismo. Nairo Quintana e Vincenzo Nibali partem como os grandes favoritos a conquistar a maglia rosa, sendo que, em termos de portugueses, iremos ter a presença de 3 ciclistas a representar Portugal. Rui Costa, José Gonçalves e José Mendes são os elementos nacionais presentes em Itália.

Esta edição parte da Sardenha pela primeira vez, passa igualmente pelo maior vulcão da Europa, o Etna, e termina com um contrarrelógio próximo dos 30 km’s, situado em Milão. O final desta etapa acontece junto do Autódromo de Monza e a meta está situada na Piazza Duomo.

O Monte Etna estará presente neste Giro e fará as primeiras grandes diferenças na geral individual  Fonte: italia.it
O Monte Etna estará presente neste Giro e fará as primeiras grandes diferenças na geral individual
Fonte: italia.it

Iremos ter mais de 3 mil km’s percorridos no conjunto das 21 etapas e iremos ter 3 dias de descanso nestas 3 semanas de prova. Tal como foi mencionado, irá haver homenagem a algumas lendas, como, por exemplo, o facto de algumas das etapas começarem ou terminarem nas cidades-natal de ex-ciclistas, como Ercole Baldini, Gino Bartali ou Fausto Coppi.

As três primeiras etapas, com maior ou menor dificuldade, estarão adaptadas para os homens mais rápidos do pelotão, mas as grandes dificuldades começam logo à quarta etapa, com a chegada do Monte Etna. Esta subida é brutal, com quase 18 km’s e com uma percentagem de inclinação de 6,6%. É o primeiro grande teste para os homens que irão lutar pela geral e, apesar de não decidir quem irá vencer, poderá decidir quem não estará na luta até final.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários