Anterior1 de 3Próximo

O sol abriu para marcar uma das mais históricas provas do ciclismo feminino, bem ao contrário do ano anterior e os primeiros quilómetros foram marcadas por várias tentativas de fuga que foram sempre sendo neutralizadas.

Entrando no circuito final, que seria ultrapassado por quatro vezes, a primeira passagem por Orino viu Grace Brown adiantar-se e seguir durante uns bons quilómetros isolada. No entanto, a australiana – que já havia sido a combativa do dia na prova anterior do World Tour, a Ronde van Drenthe – nunca ganhou demasiado espaço e foi absorvida pelo pelotão à entrada das últimas duas voltas.

De seguida, começaram os ataques das maiores favoritas, com especial destaque para a CCC-Liv de Marianne Vos e Ashleigh Moolman-Pasio. Estas mexidas resultaram num pelotão cortado, mas que reagruparia na descida, ainda que já bastante reduzido.

A Mitchelton-Scott foi uma das equipas a assumir as responsabilidades da corrida
Fonte: Mitchelton-Costa

Aproveitando um período de hesitação no grupo na penúltima passagem pela meta, a jovem holandesa Demi Vollering lançou-se para a frente da corrida e rapidamente construiu uma interessante vantagem. Contudo, conjuntos como a Mitchelton-Scott aperceberam-se do perigo e trabalharam para corrigir a situação.

Chegadas à última subida do dia, a campeã em título Katarzyna Niewiadoma não se escondeu e desferiu uma poderosa investida que cingiu o grupo da frente às melhores. Ainda houve mais algumas vigorosas tentativas, com especial nota para as de Cecilie Uttrup Ludwig, mas a seleção estava feita.

Com duas atletas em oito na dianteira, coube à CCC-Liv organizar-se para impedir a reentrada do grupo perseguidor, onde Floortje Mackaij tentava desesperadamente levar Rivera à frente.

O trabalho daria frutos, com as mulheres da frente a serem apanhados na curva para a reta da meta, mas, ocorrendo tão em cima do final, Rivera acabou bloqueada e sem espaço para meter a sua velocidade de ponta e não consegui fazer melhor que oitava.

Na luta pela vitória, Vos era claramente superior ao sprint e relegou Spratt e Uttrup Ludwig para os restantes lugares do podium sem qualquer senão.

É a quarta vitória de Vos nesta prova – já havia ganho em 2009, 2010 e 2012 – que triunfa de forma justa e merecida, depois de ter parecido sempre a melhor nos momentos decisivos.

Outro dos destaques do dia vai para a jovem russa Anastasiia Chursina, que surpreendeu todos com uma exibição de gala. Já na prova de júniores, o Piccolo Trofeo Alfredo Binda, foi a americana Megan Jastrab a sair vitoriosa.

Classificação

  1. Marianne Vos (CCC-Liv) 3:27:07
  2. Amanda Spratt (Mitchelton-Scott) m.t.
  3. Cecilie Uttrup Ludwig (Bigla) m.t.
  4. Anastasiia Chursina (BTC City Ljubljana) m.t.
  5. Elena Cecchini (Canyon SRAM) +0:01
Anterior1 de 3Próximo

Comentários