Anúncio Publicitário
Anterior1 de 3

A ANTEVISÃO: JUVENTUDE BATE EXPERIÊNCIA À PARTIDA PARA O “ROUND 2

Depois da mais recente vitória de Max Verstappen (Red Bull) no Grande Prémio da Estíria, também disputado no Red Bull Ring, e de a equipa da casa e a Mercedes terem trocado melhores tempos durante as sessões de treinos, a sessão de qualificação adivinhava-se competitiva, e talvez decisiva: a Pirelli optava, desta vez, por trazer pneus ligeiramente mais macios, o que poderia baralhar a performance das equipas comparativamente ao fim de semana anterior.

Num dia que ficou também marcado pelo anúncio da renovação do vínculo do heptacampeão Lewis Hamilton com a Mercedes até 2023, a qualificação começou com condições de pista ideais e os dois Haas a fazer as honras de abertura, com tempos entre um minuto e seis e um minuto e sete segundos. Claramente insuficientes considerando os tempos de 1:04.5 conseguidos por Hamilton e Verstappen na segunda e terceira sessões de treinos, respectivamente. Dos líderes, Verstappen foi o primeiro a sair para pista e imediatamente subiu para primeiro, com um tempo de 1:04.249 que não mais seria batido.

Anúncio Publicitário

A primeira sessão de qualificação terminaria com Kimi Räikkönen (Alfa Romeo), Esteban Ocon (Alpine), Nicholas Latifi (Williams), Mick Schumacher e Nikita Mazepin (ambos Haas) nos últimos cinco lugares, e fora da discussão por um lugar nos dez primeiros. No Top 3, talvez algo surpreendentemente, Lando Norris (McLaren) e Fernando Alonso (Alpine), à frente dos dois Mercedes. Sergio Pérez conseguia apenas o oitavo lugar no segundo Red Bull e Daniel Ricciardo (McLaren) escapava “no limite” à eliminação, com o 15.º lugar.

Ligeiramente melhor desempenho de Pérez a abrir a segunda sessão de qualificação, com um tempo de 1:04.554, desta vez nos pneus médios. A estratégia preferencial, sobretudo com pneus mais macios para este Grande Prémio, seria definitivamente a de começar neste composto de pneu e não no macio, cujo desgaste impedirá, à partida, um stint de abertura razoavelmente longo e competitivo.

Mais uma vez, os gritos de celebração da “armada laranja” fizeram-se ouvir com o salto do holandês Verstappen para o topo da classificação com metade da sessão disputada. Também Sebastian Vettel (Aston Martin) tinha razões para celebrar: quarto lugar provisório na primeira ronda de voltas rápidas, no dia do seu 34.º aniversário.

A segunda e final ronda de voltas na Q2 começou com oito pilotos em pneus macios e sete em pneus médios (entre eles Verstappen, os dois Mercedes e os dois Ferrari). A aposta correu especialmente mal para a Ferrari, com os dois pilotos a acabar fora do Top 10, enquanto Alonso se via bloqueado por Vettel à entrada para a última curva e acabaria também ele fora da Q3, um incidente que seria investigado pelos delegados da FIA após a sessão.

Com o desapontante Ricciardo e Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) também fora, o grande vencedor desta sessão em particular acabou por ser George Russell. O “Senhor Sábado” fez o décimo melhor tempo a bordo do Williams pela primeira vez na carreira, e com pneus médios: uma vantagem competitiva importante para a corrida, em busca dos seus primeiros pontos pela equipa britânica.

Partida, então, para o duelo final da Q3 com todos os pilotos em pneus macios e “primeiro sangue” para Verstappen na sua luta particular com os dois Mercedes e, mais uma vez, a aparecer forte, Lando Norris (segundo lugar). Cinco décimos de segundo separavam neste momento o top 5, que era fechado por Pérez, com os dois AlphaTauri e os dois Aston Martin a intercalar os lugares de sexto a nono, e Russell a optar por não participar na primeira ronda de voltas.

Na decisão, dupla “festa laranja” consumada! Verstappen na “pole” sem melhorar o tempo inicial de 1:03.720, e Norris, no carro laranja da McLaren, a fazer um tempo 48 milésimos apenas mais lento que o holandês e a saltar para a linha da frente da grelha. Pérez melhorava também para se colocar directamente atrás do colega de equipa na partida para a corrida de amanhã, seguido pelos dois Mercedes de Hamilton e Valtteri Bottas e os dois AlphaTauri, de Pierre Gasly e Yuki Tsunoda.

George Russell continuava a “dar cartas” e a cimentar o seu lugar como um dos melhores pilotos da grelha em ritmo de qualificação, ao ganhar mais um lugar com a sua última volta e a relegar Lance Stroll para décimo lugar. Por definir ficava a posição de Vettel, oitavo, em pista mas aguardando decisão dos comissários (o que poderia catapultar Russell para a quarta linha da grelha).

Mais uma pole position, então, para Max Verstappen – a quarta nesta temporada e a terceira consecutiva, comprovando o grande momento de forma da Red Bull. No reverso da medalha, muito trabalho pela frente para os dois Mercedes, conhecidos pela dificuldade em seguir outros carros e colocados atrás de Pérez, que pode dificultar a perseguição a Verstappen e Norris. A corrida tem início marcado para as 15:00 locais de amanhã, 14:00 de Portugal continental.

Foto de Capa: Formula 1
Anterior1 de 3

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome