Anúncio Publicitário

cab desportos motorizados

Hoje estar na Turquia foi claramente uma vantagem em relação a estar em Portugal: isto porque a prova cá foi às 5h e não às 7h.

Mas, agora que já falei da minha “sorte”, vamos ao GP da Austrália, que é o que interessa. Vitória esperada da Mercedes, com o campeão Lewis Hamilton a ser o vencedor e Nico Rosberg a ficar em segundo. Posto o que toda a gente já sabia que ia acontecer, caso não houvesse qualquer imprevisto na Mercedes, é tempo de falar da corrida em si.

Anúncio Publicitário
Hamilton, o vencedor Fonte: Facebook Australian Grand Prix
Hamilton, o vencedor da prova
Fonte: Australian Grand Prix

Para começar, é de referir que só arrancaram 15 carros, quando seria esperado que tivessem arrancado 20, apesar de já se saber que a Manor não ia participar desde sábado. Depois foi a vez de se saber que Valtteri Bottas (Williams) não iria correr por ter sido confirmado um problema com uma vértebra ocorrido durante a qualificação. Já na volta de reconhecimento foi a vez de Kevin Magnussen (McLaren) e Daniil Kvyat (Red Bull) verem a sua participação condenada devido a problemas com os seus monolugares. O piloto da McLaren ficou de fora devido a um problema com o motor e Kvyat devido a um com a caixa de velocidades. Esta foi a corrida com menos carros na grelha de partida desde 1981, quando no GP de San Marino apenas 14 carros arrancaram para a corrida.

Na luta pelo pódio, que era o que causava mais dúvidas entre todos, foi Vettel que levou a melhor. O alemão, agora na Ferrari, ficou à frente de Massa na luta entre a equipa italiana e a Williams, que promete ser muito animada durante o resto da época. Mas a surpresa da prova vai para Filipe Nasr: o brasileiro da Sauber terminou em quinto e fez uma grande prova. Nasr foi o último piloto a cumprir as mesmas voltas que o vencedor, mesmo tendo terminado a mais de minuto e meio deste. É interessante ainda ver que a Sauber fez 14 pontos na Austrália, quando em 2014 não conseguiu pontuar.

A McLaren-Honda continua com problemas nos seus novos motores, dado ser o primeiro ano em que os está a usar, e muito trabalho ainda tem de ser feito – como prova, aliás, o 11º e último lugar de Button, o único piloto a levar duas voltas dos primeiros classificados. Para terminar, falta apenas falar na Lotus, que viu os seus dois carros desistirem durante a primeira volta devido a toques entre carros.

Agora é esperar pelo fim-de-semana de 27 a 29 de março, altura do GP da Malásia.

Foto de capa: Facebook Australian Grand Prix

Anúncio Publicitário