logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Edoardo Mortara

Berlin E-Prix #1: Vitória para Venturi e Mortara

modalidades cabeçalho

A CORRIDA: O ESPETÁCULO DAS ULTRAPASSAGENS

Edoardo Mortara começou da pole position e conseguiu a liderança, enquanto António Félix da Costa tentou chegar ao segundo lugar, numa tentativa de ultrapassar Alexander Sims, mas sem sucesso. Numa outra tentativa, o português conseguiu ultrapassar o britânico e, desse momento para a frente, foi perder posições para André Lotterer e Jean Éric Vergen, ficando em quinto.

Nenhum piloto utilizou o Attack Mode quando o mesmo foi autorizado, até Pascal Wherlein e Nick De Vries se atreverem a sair da posição de pista para ganhar mais velocidade durante três minutos. Dentro do TOP 5, foi Alexander Sims o primeiro piloto a utilizar o Attack Mode. Logo a seguir, Lotterer também ativou o seu AM e, com isso, perdeu a posição para Sims.

Wherlein, ainda com AM ativado, ultrapassou Vergne e o mesmo responde ativando o seu modo de ataque. Entretanto, a meio do pelotão, formou-se um comboio de Stoffel Vandoorne, que ainda não tinha ativado o seu AM. Félix da Costa ativa o seu modo de ataque, caindo para quinto.

André Lotterer e Jean Eric Vergne ultrapassaram Alexander Sims, seguidos por Félix da Costa. Com a ajuda de ordens de equipa, Lotterer ultrapassa Wherlein, que quase perdia a posição para Vergne. Acabou por perder a posição para ambos os DS, com um ligeiro toque de Felix e Wherlein.

Com 22 minutos para o fim da corrida, Edoardo Mortara decide ativar o seu AM, perdendo uma posição e saindo à frente de Da Costa. Vergne a tentar a ultrapassagem a Sims, enquanto Da Costa perde para Vandoorne. Felix ativa AM, perde para Wherlein

Vandoorne foi o primeiro piloto a usar o fanboost para se aproximar dos primeiros. Lotterer ativa o AM, e perde a posição para Vandoorne. Mais tarde, Vandoorne perde posição para Lotterer para ativar o AM.

Vergne ultrapassa Vandoorne depois de usar fanboost. Sem tempo adicionado à corrida, foram minutos finais muitos tensos, com uma tentativa de ultrapassagem de Vergne a Mortara para a liderança de E-Prix, mas sem sucesso. Com esse erro, Mortara ganha vantagem e o belga consegue uma maior aproximação do francês, formando-se um comboio de cinco carros, entre o segundo e sexto lugar. Na última volta, já sem energia nenhuma, ainda há tempo para ultrapassagens, com Felix da Costa a perder posição para Evans e mais outros pilotos.

A corrida termina com vitória para a Edoardo Mortara no Venturi #48, seguido de Jean Eric Vergne, que conseguiu manter a posição no DS Techeetah #25 e para fechar o pódio o Mercedes #5 de Stoffel Vandoorne.

PILOTO DO DIA

Stoffel Vandoorne – Começou de oitavo no grid e teve momentos em que estava muito atrás do primeiro lugar. Com uma boa estratégia e calma, o atual líder do campeonato conseguiu chegar ao pódio e chegou mesmo a estar muito perto do segundo lugar.

 

DESILUSÃO DO DIA

António Félix da Costa – Tudo apontava para uma posição de pódio ou até um TOP 5 pelas várias ultrapassagens feitas pelo português durante a corrida. Mas, por um problema relacionado com a sua energia, o mesmo terminou no oitavo lugar.

 

Rescaldo da autoria de Ana Catarina Ventura, redatora de Modalidades

Artigo revisto por Joana Mendes

Esta é a Ana Catarina. Apaixonou-se pela Fórmula 1 com 14 anos e a partir desse momento, descobriu o mundo do desporto motorizado. Graças a isso, seguiu o caminho do jornalismo até se licenciar em Jornalismo e Comunicação, na capital do Alto Alentejo.

Esta é a Ana Catarina. Apaixonou-se pela Fórmula 1 com 14 anos e a partir desse momento, descobriu o mundo do desporto motorizado. Graças a isso, seguiu o caminho do jornalismo até se licenciar em Jornalismo e Comunicação, na capital do Alto Alentejo.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA