7.

Fonte: Formula 1

Sebastian Vettel (Ferrari)- Onde está o tetracampeão? Essa é a pergunta que mais se tem feito nos últimos três anos. Para muitos ele não existiu, sendo que o Adrien Newey conseguiu construir um carro que se conduzia sozinho nos tempos da Red Bull.

Mas no fundo todos sabemos o talento fabuloso que Vettel tem, que tem andado desaparecido, só aparecendo ocasionalmente. A Ferrari, apesar da segunda classificação no campeonato, mais uma vez tropeçou nela própria, criando um carro que não era suficientemente bom, fomentando atritos entre Charles Leclerc e Sebastian Vettel ao designar estratégias sem sentido nenhum. Mas isto é só uma parte do que influenciou a queda de Vettel este ano.

Para começar, Sebastian Vettel foi bastante favorecido pela equipa estratégica da Ferrari no início da época, mesmo quando Leclerc era mais rápido, e quando ele era mais rápido, os erros apareciam. Desde embater na traseira de Max Verstappen em Inglaterra, a despistar-se sozinho em Monza, e ao reentrar na pista embater em Lance Stroll (Racing Point). Vários exemplos de comportamento errático e amador de alguém que é um tetracampeão de Fórmula 1 e que não está sequer perto de uma idade em que se considere a reforma.

Apesar de todos estes males, houve provas de que o Vettel antigo existe, como na Alemanha, em que se redimiu do desastre do ano passado para ir de último para segundo numa corrida caótica, ou em Singapura, onde otimizou ao máximo a estratégia da equipa com um undercut fabuloso. Há muito a melhorar para Vettel, pois um piloto no seu segundo ano de carreira (Charles Leclerc) supostamente não deveria fazer o que quer de um veterano campeão. Para o ano, se as coisas não melhoram, não estou a ver a Ferrari a dar continuidade a Vettel.

Anúncio Publicitário