Anterior1 de 3Próximo

Celebrando-se, este fim-de-semana, o 70.º Aniversário da Fórmula 1, foi em 1950, precisamente em Silverstone, que a magia da modalidade começou.

A CORRIDA: NÃO GANHOU A MERCEDES?

Conta-se a quinta ronda do Campeonato Mundial de Fórmula 1, onde, numa luta sempre intensa entre a equipa da Mercedes e a Red Bull, são os “touros vermelhos” que acabam por triunfar, numa estratégia de corrida fantástica que acaba por levar Max Verstappen para o seu primeiro triunfo da época.

No arranque da corrida, Valtteri Bottas ainda conseguiu ultrapassar Lewis Hamilton, e assim ficou, mas acabou por ceder à pressão do colega de equipa.

Anúncio Publicitário

Lewis Hamilton (Mercedes), que permaneceu no topo durante maior parte da corrida, optou por arriscar e mudar de pneus a 11 voltas do fim, para tentar travar a vantagem de Max Verstappen (Red Bull) que tinha pneus mais frescos. Se houvessem mais voltas, teria resultado, porém, a estratégia apenas lhe garantiu o segundo lugar.

Charles Leclerc foi o único Ferrari nos pontos. Numa corrida bastante sólida por parte do monegasco, levou a macchina rossa ao quarto lugar. Já Sebastian Vettel (Ferrari) não passou de um 12.º lugar.

Alex Albon (Red Bull) surpreende ao arrecadar o quinto posto. Parecendo que não, a paragem cedo do tailandês fez com que a Red Bull conseguisse apresentar uma estratégia consistente, não só para ele, como também para Max Verstappen, noutras vertentes.

Esperávamos ver uma corrida mais sólida de Nico Hulkenberg (Racing Point) que, saindo de terceiro lugar, voltou a substituir Sergio Perez esta semana. Porém, tal não aconteceu, permanecendo no sétimo lugar, atrás de Lance Stroll (Racing Point).

Os últimos lugares nos pontos pertenceram a Esteban Ocon (Renault), Lando Norris (McLaren) e Daniil Kvyat (Alpha Tauri).

A única desistência de hoje pertenceu a Kevin Magnussen (Haas).

Em suma, se tivéssemos que denominar esta corrida, seria como uma espécie de «triângulo amoroso» entre os dois homens da Mercedes e Max Verstappen (Red Bull).

Não foi, de todo, uma corrida em que a emoção estivesse à flor da pele, mas a verdade é que, pelo menos, conseguimos ver uma corrida em Silverstone que não fosse nem a Mercedes, nem Lewis Hamilton a ganhar.

Foto de Capa: Red Bull Racing

Anterior1 de 3Próximo

Comentários