cab desportos motorizados

Há coisas que já se sabe desde o início, e que Ogier ia ser o campeão do mundo de ralis de 2015 é uma delas. Foi preciso esperar até ao fim de semana passado para o título ser confirmado, mas já há muito que se sabia que mais cedo ou mais tarde Sébastien Ogier iria chegar ao seu terceiro título consecutivo, quando ainda faltam três provas para o fim do WRC.

O homem da Volkswagem venceu a sua sétima prova deste ano e mostrou, mais uma vez, que é o homem a bater. A marca alemã também tem o carro a bater, já que os três primeiros lugares do Mundial são ocupados pelos três pilotos da VW.

A prova do título foi na Austrália, e a VW quase conseguia o pódio completo, mas uma penalização de 10s a Mikkelsen a duas especiais do fim atirou o finlandês para o quarto posto. O pódio ficou assim com Ogier, Latvala e Meeke, que conseguiu assim meter o seu DS3 WRC entre os Polo WRC. O britânico ainda chegou a liderar a prova, mas o último dia não lhe permitiu chegar à vitória.

Em Portugal, a uma prova do fim, ainda não temos campeão, depois de um Rali de Mortágua onde Fontes começou por dominar mas dois azares o afastaram da vitória e depois levaram mesmo à desistência.

Anúncio Publicitário
Um destes homens será o campeão nacional de 2015 Fonte: www.sportmotores.com
Um destes homens será o campeão nacional de 2015
Fonte: www.sportmotores.com

Mas Ricardo Moura não conseguiu aproveitar da melhor maneira esta desistência e ficou em terceiro lugar, a apenas meio segundo de Carlos Martins, que conseguiu o seu segundo pódio do ano e igualou o seu melhor resultado no Nacional de Ralis. A vitória foi para o campeão nacional Pedro Meireles, que assim se estreou a ganhar com o Fabia R5.

O meio segundo que separou Moura do segundo lugar e os consequentes menos três pontos na classificação podem ser decisivos numa luta pelo título, que se espera até à última no Rali do Algarve, que se disputa em novembro. O açoriano queixou-se do tempo que perdeu na quarta especial, pois ficou a apanhar o pó levantado pelo carro de Fontes, que tinha parado para trocar um pneu, mas de nada serviu esta queixa.

Para o Algarve as contas são as seguintes: Fontes vai em primeiro com 145,5 pontos enquanto Moura vai com 136, no entanto, as piores pontuações de cada um são descontadas e, neste caso, Fontes perde 1,5 pontos e Moura apenas 0,5, ou seja, a diferença pontual à partida é de 8,5 pontos.

Para Moura ser campeão as vitórias em especiais serão fundamentais, já que sem estes 0,5 pontos/especial apenas a vitória de Moura e o quarto lugar de Fontes dariam o título ao piloto açoriano.

Foto de capa: Sébastien Ogier