Anúncio Publicitário

A temporada de 2021 do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) começa já este fim de semana com o Rali de Monte Carlo. Após muita especulação sobre um possível cancelamento do histórico rali, as entidades competentes vão para a frente com a prova, apesar de muitas restrições, lá está, devido à pandemia da COVID-19. Mas, não coloquem os “carros à frente dos bois”, pois só quando os carros estiverem na estrada é que as coisas começam.

Anúncio Publicitário

Em termos de calendário, o WRC pretende correr 12 rondas. O rali da Suécia já foi cancelado e na sua vaga fica o Rali do Ártico, prova que também se correu no fim de semana anterior, com Juho Hänninen a levar o troféu de vencedor para casa. Para além de Hänninen, o Rali do Ártico também contou com outros pilotos do Campeonato do Mundo de Ralis como Oliver Solberg, Emil Lindholm ou Ole Christian Veiby, do Campeonato do Mundo de RallyCross, Niclas Grönholm, e até do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, Vallteri Bottas. Bottas até já pondera uma participação no WRC!

O Rali de Portugal, cancelado em 2020 devido à pandemia da COVID-19, parece estar de regresso, com data de 20 a 23 de maio. Em 2021, depois do cancelamento da sua estreia em 2020, o Rali de Ypres está preparado para correr em agosto, mais propriamente de 13 a 15 de agosto. Se tudo correr bem, o WRC finaliza com o Rali do Japão, de 11 a 14 de novembro.

O ano de 2021 é um encerrar de um ciclo, com as novas regulamentações a entrarem em vigor em 2022. Depois de quase todas as séries já estarem a utilizar tecnologia híbrida, os ralis chegam um pouco tarde à festa…Mas, o importante é chegar!

Calendário de 2021 do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC)
Fonte: WRC

Para 2021, continuamos a ter três construtores, a Toyota, a Hyundai e a M-Sport Ford. Na Toyota, mantêm-se o alinhamento com Sébastien Ogier, Elfyn Evans e Kalle Rovanperä. Em 2021 a Toyota vai assumir o controlo total do programa no Campeonato Mundial de Ralis. Tommi Mäkinen sai de diretor de equipa e fica como conselheiro do desporto motorizado para a Toyota. No seu lugar, uma das surpresas de 2021, Jari-Matti Latvala. O antigo piloto finlandês deixou de competir a 100% no WRC em 2019, tendo em 2020 corrido no Rali da Suécia com um Yaris WRC, com Juho Hänninen como navegador. Para 2021, Latvala é agora o diretor de equipa da Toyota.

Latvala esteve no WRC desde 2002 a 2020, fazendo 209 ralis, vencendo 18 e estando no pódio por 67 vezes. Apesar de nunca ter conquistado um campeonato do mundo o finlandês foi segundo por três vezes. Como piloto, para mim Latvala muitas vezes não conseguia fazer melhor devido a alguns problemas no carro que o desanimavam psicologicamente e depois nada resultava. Como chefe de equipa terá de ser forte, pelo menos em 2021, um ano em que pode ter três pilotos a lutar pelo título, ou, no mínimo dois.

Para Ogier, este é o último ano. O francês, que decidiu ficar mais um ano no WRC, muito por culpa da pandemia, vai tentar vencer o oitavo título mundial, depois de vencer com a Volkswagen, Ford e Toyota. Evans, a surpresa de 2020, também pode ser considerado como candidato ao título, mas o piloto britânico terá de aprender com os erros de 2020, especialmente o do Rali de Monza. Por fim, e depois de ser o mais jovem a vencer uma especial, Rovanperä vai querer estar mais consistentemente na luta por vitórias em ralis, e quiçá o título mundial…

Na Hyundai, Ott Tänak e Thierry Neuville continuam a ser as estrelas da companhia sul-coreana. Em 2020, Tänak estava numa equipa nova e depois do estrondoso acidente em Monte Carlo, o estónio foi recuperando, conseguindo vencer em casa. Para 2021, espera-se que o susto de 2020 tenha sido mais do que ultrapassado e que o estónio esteja pronto para lutar pelo título. Neuville é o eterno segundo classificado, tal como Latvala, na minha opinião. O belga tem ficado quase sempre a um passo da vitória, tendo já sido segundo por cinco vezes. Tal como Latvala, parece sempre faltar algo. Pelo menos agora, o belga já afirmou que «este ano tem de ser o ano». Por fim, o terceiro Hyundai i20 Coupé WRC será partilhado por Dani Sordo e Craig Breen. Com a vitória na Sardegna, Sordo continua a ser importante na formação sul-coreana, já Breen demonstrou que ainda tem muito para dar no WRC.

Para 2021, Sébastien Loeb não compete. O nove vezes campeão do mundo fica de fora, cada vez menos interessado nos ralis, dedicando-se ao Rally Dakar e ao Extreme E.

Loeb e Daniel Elena no Rally Dakar de 2021, estreando o BRX Hunter 4X4
Fonte: Bahrain Raid Extreme

Na M-Sport Ford, Teemu Suninen, Gus Greensmith e Adrien Fourmaux formarão a equipa. A equipa continua a apostar nos jovens e em 2021 Gus Greensmith disputa pela primeira vez um campeonato completo. Já Teemu Suninen dá um passo atrás, competindo apenas em alguns eventos, focando-se assim em 2022, na entrada dos novos regulamentos, e esperando que sejam dois passos à frente.

Já Adrien Fourmaux estreia-se na categoria WRC. O francês, vice-campeão em 2020 no WRC2 toma um passo importante, e claro, pretenderá mostrar-se

Em termos de privados, Pierre Louis Loubet entra, novamente, com um Hyundai i20 Coupé WRC. Já Takamoto Katsuta terá um programa integral com a Toyota.

Foto de Capa: Toyota Gazoo Racing WRT

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome