logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

SC Braga/AAUM

SC Braga/AAUM 1-1 Eléctrico FC (5-4 AP): Valeu pelo final

modalidades cabeçalho

A CRÓNICA: JOGO FRACO EM BRAGA TERMINA COM DISPUTA DE PENÁLTIS E FINAL EMOCIONANTE

O play-off da edição deste ano do Campeonato Nacional de Futsal arrancou, esta quarta-feira à noite, em Braga. SC Braga/AAUM e Eléctrico FC, 6.º e 3.º classificados da Fase Regular, respetivamente, deram o pontapé de saída da fase decisiva da competição. Nos próximos 35 dias iremos conhecer o Campeão Nacional da modalidade da temporada 2021/22!

Voltando a Braga e ao jogo desta quarta-feira, o Pavilhão Desportivo Universitário da Universidade Minho não encheu para receber a abertura dos Quartos de Final e o reencontro entre as duas equipas, visto que estes dois emblemas mediram forças, no mesmo palco, à 11 dias – os alentejanos venceram por 4-2.

Para este duelo, Joel Rocha estava privado de Leandro Costa, Rudi e Xandoca, ao passo que João Freitas Pinto não contou com Ygor Mota e Hugo Neves. No tempo regulamentar, a partida não teve qualquer golo, com o jogo a registar muito poucas oportunidades claras de golo, destacando-se as bolas nos ferros por parte de Célio Coque, Fábio Cecílio e Serginho. O futsal foi muito pouco espetacular, superiorizando-se a nível tático.

No prolongamento o sentido do jogo manteve-se igual… até aos derradeiros 80 segundos de jogo. Ainda antes disso, Tiago Brito cometeu a sexta falta da sua equipa sobre Matheus. O próprio Matheus assumiu a cobrança, mas atirou ao lado. Depois, o Eléctrico aproveitou um canto do Braga para se lançar rapidamente no contra-ataque, com Matheus Kogikoski a bater Vitor Hugo. Naturalmente, Joel Rocha apostou no 5×4 e, a 30 segundos do fim, Rúben Santos rematou forte, da zona dos nove metros, e bateu André Correia.

Assim, a partida seguiu para o desempate por pontapés de penáltis. Gustavo Rodrigues, Matheus Kogikoski e John Lennon converteram os três primeiros remates para os ponte-sorenses, respondendo Pola, Fábio Cecílio e Vitor Hugo Silva. Na quarta série, Célio Coque começou por enganar Vitor Hugo e, de seguida, Tiago Correia atirou ao lado. Ao primeiro match point, Daniel Airoso viu o guardião internacional português negar-lhe o golo, antes de Tiago Brito voltar a repor a igualdade a quatro. Russo assumiu a cobrança e Vitor Hugo voltou a defender. Até que, ao segundo penálti decisivo, Allan Guilherme enganou André Correia e deu a vitória à sua equipa.

Depois uma partida pouco ou nada “bonita”, o Braga acabou por adiantar-se nestes Quartos de Final, mesmo depois de ter estado praticamente com a derrota confirmada em duas ocasiões. O esforço dos Gverreiros foi culminado no final, com Vítor Hugo a aparecer na baliza bracarense. A próxima disputa-se no dia 3 de junho, em Ponte de Sor, a partir das 19 horas.

 

A FIGURA

Vitor Hugo – Aos 39 anos, Vitor Hugo, também conhecido por China, continua a mostrar um nível excecional nas balizas nacionais. Hoje, foi o principal obreiro da vitória do SC Braga, assumindo um papel fundamental nos pontapés de penálti, ao negar que o Eléctrico vencesse e a permitir a reviravolta da sua equipa, que culminou na vitória. Se não fossem as lesões, tinha tido uma carreira ainda mais brilhante.

O FORA DE JOGO

O jogo – O principal fator negativo desta partida foi… a própria partida. Foram 58 minutos muito aborrecidos, com poucas ocasiões de golo e as equipas as encaixarem-se taticamente. Esteve longe de ser brilhante e, nesta fase, esperava-se mais. Estamos a falar do terceiro classificado da Fase Regular e de um dos clubes que mais investe na modalidade. Valeu pela parte final do desafio. Espera-se que os próximos jogos sejam o oposto do duelo desta noite.

 

ANÁLISE TÁTICA – SC BRAGA/AAUM

Na flash interview, Joel Rocha escolheu, e bem, a palavra que melhor definiu a partida da sua equipa: superação. Essa palavra resume não só o SC Braga, como a partida em si. A equipa foi competente a nível defensivo, contrastando com o seu ataque, que criou poucas ocasiões. Na parte final, o Eléctrico desperdiçou um livre de 10 metros, a vantagem com um minuto por jogar e o penálti decisivo. Os bracarenses nunca deixaram de acreditar, superaram-se, e ficam com a vitória, justamente.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Vitor Hugo (9)

Ricardo Lopes (7)

Fábio Cecílio (7)

Tiago Brito (6)

Allan Guilherme (6)

SUBS UTILIZADOS

Vitor Hugo Silva (6)

Pola (6)

Vitor Renoldi (6)

Serginho (7)

Tiago Correia (6)

Rúben Santos (7)

Elisandro (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – ELÉCTRICO FC

A partida não foi boa, é certo, mas tenho é um dado adquirido que a equipa de João Freitas Pinto fez o suficiente para ter conquistado a primeira vitória dos Quartos de Final. Muito à sua imagem, os alentejanos tiveram mais bola, pressionaram alto e deram pouco espaço ao SC Braga. Porém, não conseguiram criar grandes ocasiões de perigo até aos derradeiros minutos. Aí, tiveram três match points, desperdiçaram-nos e precisam agora de vencer as duas partidas em Ponte de Sor.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

André Correia (7)

Ferrugem (6)

Matheus Kogikoski (8)

Daniel Airoso (7)

Russo (6)

SUBS UTILIZADOS

Diogo Basílio (6)

Fábio Neves (6)

Gustavo Rodrigues (6)

Célio Coque (7)

John Lennon (6)

O Tiago nasceu em Abrantes e, atualmente, estuda em Portalegre, cidade para onde partiu em busca do seu sonho no meio do Jornalismo. Está ligado ao Desporto desde sempre e gosta de rebater as suas opiniões até à última. O Ciclismo e o Futebol - não o 'jogo da bola' - são as suas paixões, sem nunca descurar o Hóquei em Patins, o Futsal e o brilhante mundo dos Esports.

O Tiago nasceu em Abrantes e, atualmente, estuda em Portalegre, cidade para onde partiu em busca do seu sonho no meio do Jornalismo. Está ligado ao Desporto desde sempre e gosta de rebater as suas opiniões até à última. O Ciclismo e o Futebol - não o 'jogo da bola' - são as suas paixões, sem nunca descurar o Hóquei em Patins, o Futsal e o brilhante mundo dos Esports.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA