Cabeçalho modalidadesÉ indiscutivelmente o assunto da semana e tenho que dirigir algumas palavras de agradecimento e reconhecimento pela ótima prestação do Sporting Clube de Portugal na UEFA Futsal Cup.

Alguns dos meus colegas puderam vivenciar o apuramento para a final four e já fizeram, e muito bem, o seu trabalho, pelo que não vou comentar os jogos que já passaram, mas sim olhar para os possíveis adversários dos “leões” nesta fase final, dando uma opinião sobre os três que podem calhar em sorte ao conjunto lusitano. E, vendo o leque de equipas presentes na fase final, ainda em lugar indeterminado, é caso para dizer “venha o diabo e escolha!”, porque como possibilidades temos o campeão europeu em título, o Ugra Yugorzk, o Kairat Almaty, campeão europeu em 2014/15 e sem dúvida uma das mais temíveis formações da Europa, os espanhóis do Inter Movistar, onde pontifica o melhor jogador do mundo na atualidade, o português Ricardinho.

É óbvio que nesta fase também não se podia pedir muito, mas para ser campeão europeu o Sporting vai ter muitas dificuldades, uma vez que é o outsider, por ser o único clube dos quatro presentes que ainda não conta com qualquer título continental no seu palmarés. Mesmo que, eventualmente, possa vir a receber uma resposta positiva da UEFA no sentido de ser o organizador da final a quatro, é a equipa menos favorita no papel e aquela que “corre por fora” por ser a única equipa na fase final que não pertencia ao pote um no sorteio da ronda de Elite. Já provou que pode jogar de igual para igual com equipas teoricamente mais fortes, conforme se viu no passado fim-de-semana contra o FC Dynamo, e é sempre uma boa vantagem poder jogar em casa, como se viu na conquista em 2009/10 do SL Benfica no Pavilhão Atlântico (atual Meo Arena).

uefa-futsal-cup-scp
Festa rija logo após o apuramento para a final four da UEFA Futsal Cup
Fonte: Sporting

Desta feita, a organização iria ser feita no pavilhão João Rocha, o futuro “covil” da equipa verde e branca. Tudo porque o Meo Arena não está disponível e o outro adversário na luta pela organização é o Kairat, que parte com a vantagem de ter 12.000 lugares no seu pavilhão contra “apenas” 3.000 do pavilhão do Sporting, inferior ao mínimo de 5.000 exigido pela UEFA. Mas no próximo mês de Dezembro teremos uma resposta definitiva a esta questão e vamos esperar para ver. Somente chegar a esta fase já se pode considerar um grande feito, e tudo o que vier por acréscimo será bom.

Para finalizar, não vou torcer pelo Sporting tão fervorosamente como um comum adepto do clube leonino, mas como um adepto português que apoia sempre a representação nacional contra clubes estrangeiros. Posto isto, quero apenas endereçar as mais sinceras condolências aos familiares dos jogadores, técnicos, dirigentes e restante tripulação presente no avião que se despenhou na Colômbia, porque há coisas que são transversais e, além disso, não é um assunto que toca somente aos redatores de futebol. Toca a todos e, por isso, somos todos Chapecoense!

Foto de capa: Sporting

Artigo revisto por: Francisca Carvalho

Comentários