À quarta jornada do campeonato, Sporting CP e FC Porto mediram forças no Pavilhão João Rocha com um grande jogo em perspetiva. Os leões vinham de um registo muito positivo – três jogos, três vitórias – e queriam manter a invencibilidade no campeonato. Já os azuis e brancos, que já tinham perdido pontos, queriam vencer para não deixar os rivais diretos escaparem mais.

O jogo não começou da melhor maneira, pois Pedro Gil, após um choque com Di Benedetto, acabou por ficar estendido no campo com muitas queixas. O número nove leonino teve de ser assistido pelos médicos de ambas as equipas e ainda pelos bombeiros. O espanhol acabou por ser levado de maca com colar cervical e a sua saída foi feita debaixo de muitos aplausos por parte dos adeptos de ambas as equipas. Desde já damos um voto de rápidas melhoras ao jogador!

Pedro Gil sofreu um contato violento no início do jogo e foi transportado de maca para o hospital
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Depois de várias oportunidades de perigo, João Souto teve a primeira oportunidade clara na partida. Gonçalo Alves partia para o início de um ataque portista, mas acabou por passar mal e deixar para Souto. Depois, o 44 leonino só tinha Xavier Malián pela frente enviou com estrondo à barra do FC Porto. Foi muita excesso de pontaria e o Sporting podia já estar a vencer.

O Sporting mostrava estar melhor na partida e a confirmação veio mesmo com um golo. Aos 12 minutos, na parte final da jogada houve um grande trabalho de Matías Platero, que em queda conseguiu ainda passar a bola para Toni Pérez. O número 54 dos leões com um toque subtil conseguiu meter a bola dentro da baliza portista, fazendo assim o primeiro golo da partida.

Anúncio Publicitário

Um minuto depois, houve novo golo leonino. E quem mais? Matías Platero fez o que quis da defensiva portista e aumento a vantagem na partida. Numa jogada completamente a solo, Platero deu uma volta quase inteira à área do Porto e depois rematou com força para o ângulo direito do poste de Malián, que não teve qualquer hipótese para negar o segundo golo leonino. Era o 2-0 para o Sporting e Guillem Cabestany teve mesmo de pedir um desconto de tempo para parar a partida que não estava a correr nada bem.

O FC Porto mostrava muitas dificuldades para conseguir ter perigo junto da baliza de Girão e mesmo quando chegava perto tinha alguma barreira leonina para negar os remates dos jogadores portistas.

As duas formações foram para o intervalo com um vantagem por dois golos para os leões, que demonstravam estar muito melhor tanto a atacar como a defender. Os azuis e brancos deviam trazer outro tipo de atitude para a segunda parte se é que queriam entrar nas contas do jogo e não perder o mesmo. Uma primeira parte com um bom espetáculo, exceto o que aconteceu com Pedro Gil.

O recomeço do jogo foi exatamente como antes do intervalo: Sporting por cima do encontro. O FC Porto continuava a apostar nos remates de longa distância, mas nem isso estava a conseguir sair bem à equipa neste minutos iniciais do segundo tempo. Segunda parte que começou muito menos emocionante do que a primeira.

Em pouco tempo houve a 10.º falta tanto para um lado como para o outro. Primeiro foi o FC Porto chegar a essa falta e o Sporting beneficiar de um livre, mas Ferran Font não conseguiu bater Xavier Malián, que fez uma grande defesa. Minutos depois, foi a vez dos portistas beneficiaram de um livre, mas também não conseguiram concretizar. Guilio Coco teve pontaria a mais e atirou a bola ao poste de Ângelo Girão. Mantinha-se tudo na mesma na partida.

Depois de as décimas faltas de lado a lado, os azuis e brancos começaram a equilibrar e até a estar melhor na partida. Estavam em busca de reduzir a vantagem e de salientar muitas bolas perigosas, onde algumas até chegaram a bater no poste. Momentos de muito trabalho que Girão estava a saber controlar.

Ao minuto 12, houve cartão azul para Sergi Miras. Depois de grande trabalho de Verona, o italiano foi travado por Miras e a ganhou novo livre para o Sporting. Ferran Font assumiu a responsabilidade novamente para marcar e desta vez não falhou. O jovem espanhol meteu a bola entre o braço e a perna de Xavier Malián e devagarinho entrou na baliza do Porto. Era o 3-0 e se o Porto estava mal na partida este terceiro golo não ajudava em nada.

Foi marcada a 15.º falta contra o Sporting, aos 18 minutos, e era a oportunidade perfeita para os portistas encurtarem distâncias. Gonçalo Alves foi o escolhido para marcar o livre, mas o português teve do outro lado a parede Girão. O guarda-redes leonino por duas vezes conseguiu defender os dois remates que Gonçalo Alves fez e deixava o resultado igual (3-0).

Ângelo Girão foi novamente figura de destaque na equipa leonina onde conseguiu travar muitas das intenções dos azuis e brancos. O guarda-redes dos leões foi, talvez, um dos motivos para que o FC Porto não conseguisse sequer marcar, porque oportunidades não faltaram.

Ângelo Girão foi novamente figura de destaque neste jogo
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

O final do jogo chegou e contou com a vitória do Sporting CP por 3-0 frente ao FC Porto, que desliza, assim, a segunda vez em apenas quatro jornadas. Os leões continuam a invencibilidade do campeonato tal como o SL Benfica, que também conta com quatro vitórias em quatro jogos. Encarnados e leões partilham assim a liderança do campeonato com os mesmos doze pontos.

CINCOS INICIAIS:

Sporting CP – Ângelo Girão (GR), Pedro Gil, João Souto, Matías Platero e Gonzalo Romero

FC Porto – Xavier Malián (GR), Carlo Di Benedetto, Reinaldo Garcia, Rafa e Gonçalo Alves