Cabeçalho modalidadesA tradição da NHL diz que, quando chega a altura de renegociar o contrato, um jogador deve pensar no bem da equipa, deve estar disposto a fazer um desconto à casa para libertar verba que possa ser reinvestida no reforço do plantel. Esta semana Drew Doughty e Erik Karlsson quebraram essas expectativas. A dois anos do fim dos seus contratos, dois dos melhores defesas da NHL deixaram uma coisa bem clara: não vão fazer descontos.

Primeiro Período: O teaser da free agency de 2019.

Numa entrevista dada a Craig Custance do The Atletic, Drew Doughty foi o homem cândido que todos conhecemos e fez algumas afirmações sinceras quanto ao seu futuro. “Vou conversar com o Karlsson durante o processo, tentar perceber a quantia que ele pretende e, depois, ver a quantia que eu pretendo”, disse o defesa dos Los Angeles Kings. “Não sei se ele vai renovar com os Senators. Não sei se vou renovar com os Kings. Nunca se sabe o que pode acontecer”.

Drew Doughty e Erik Karlsson são os dois cabeças de cartaz da free agency de 2019. A eles juntam-se Oliver Ekman-Larsson (Arizona Coyotes), Tyler Myers (Winnipeg Jets), Ryan McDonagh (New York Rangers) e Ryan Ellis (Nashville Predators), naquele que pode vir a ser um dos melhores grupos de free agentes das últimas décadas. Quão raro é ter dois candidatos perenes ao Norris disponíveis na free agency (possivelmente três, se colocarmos Ekman-Larsson nesse nível)? É inédito.

Doughty e Karlsson sabem bem o poder que têm e vão utilizá-lo. “Neste momento, acho que nos vamos seguir pelo contrato do P.K. Subban”; disse Doughty. “Acho que tanto eu como o Karlsson merecemos mais do que isso”. P.K. Subban é o defesa da NHL com um cap hit mais elevado ($9 milhões de dólares). Doughty deixou claro na entrevista que pretender passar a ser, juntamente com Karlsson, o defesa mais bem pago da liga, falou até em fazer o mesmo pelos defesas que Mike Babcock fez pelos treinadores, inflacionando os salários para toda a classe.

Anúncio Publicitário
Eric Karlsson Fonte: NHL
Eric Karlsson
Fonte: NHL

Confrontado com as declarações de Doughty, Karlsson seguiu a mesma linha. “Eu vou ter aquilo que mereço, nem menos um cêntimo, não interessa para onde vá”, disse o defesa sueco ao Ottawa Sun. “Temos que perceber que, quando vamos para a mesa das negociações, estamos a tratar de negócios, das duas partes, não podem ser só os donos.” Não é de estranhar a sincronia, já que Doughty e Karlsson são agenciados pela mesma empresa.

A bola está do lado das equipas, embora estas só possam começara a negociar com os jogadores a partir de julho do próximo ano, um ano antes do fim do contrato. Os Kings ainda têm algum peso em excesso deixado por Dean Lombardi. Isso não será um impedimento para renovar com Doughty, mas tornará mais difícil construir uma equipa competitiva à sua volta. Quanto aos Senators, são do conhecimento público os problemas financeiros do dono, Eugene Melnyk, e não sabemos se estará disposto a abrir a carteira. Há que considerar também o contexto competitivo da equipa. Depois de terem chegado à final da Conferência Este na época passada, os Senators estão a nove pontos dos playoffs. Só Sabres e Coyotes têm menos vitórias no tempo regulamentar. Karlsson, que, ao contrário de Doughty, nunca ganhou a Stanley Cup, pode querer-se mudar para um sério candidato ao título.