Terceiro Período: A quase impossível transformação dos Avalanche.

Passamos agora dos Bruins, uma das equipas em melhor forma na NHL, para os Colorado Avalanche, a equipa em melhor forma na NHL. Com a vitória de ontem sobre os Toronto Maple Leafs, os Avalanche quebraram a barreira dos dois dígitos, já não perdem há 10 jogos consecutivos. O hockey é uma coisa maravilhosamente imprevisível. Colorado, a equipa que fez uma das piores temporadas de que há registo em 2016/17, tem a série vitoriosa mais longa de 2017/18. Os Avanlanche ocupam neste momento o segundo wild card e podem aspirar aos playoffs, o que é incrível tendo em conta a posição em que se encontravam há menos de um ano. Com 27 vitórias, já têm mais cinco do que aquelas que registaram em toda a época transacta, e já amealharam mais 9 pontos, isto quando ainda têm quase metade dos jogos por disputar.

Perguntaram aos jogadores dos Avalanche qual é a grande diferença em relação ao ano passado e a resposta é clara: a ausência de Matt Duchene. Primeiro, foi Erik Johnson a deixar subentendido. “Da maneira como as coisas correram no ano passado, o mais fácil seria abandonar o navio. Mas o núcleo duro quis ficar aqui em Colorado e encontrar soluções”. Nathan MacKinnon foi mais direto. “Ajudou bastante (a saída de Duchene). Agora toda a gente que cá está quer cá estar, o que é muito bom”. Não sei qual a diferença de ambiente dentro do balneário, mas é-me difícil acreditar que a perda de um jogador, mesmo tendo ele uma presença cancerígena, possa explicar isoladamente a melhoria estrondosa dos Avalanche.

Nathan MacKinnon em ação Fonte: Sportsnet
Nathan MacKinnon em ação
Fonte: Sportsnet

Se quisermos ser mais analíticos, e menos dramáticos, facilmente encontramos dois “culpados”: Nathan MacKinnon e Jonathan Bernier. Bernier pegou nas rédeas da equipa quando Semyon Varlamov se lesionou. Desde aí, venceu 10 dos 11 jogos, com uma percentagem de defesas absurdas de 95.7%. Isto é fantástico, mas pouco sustentável. O mesmo não pode ser dito de MacKinnon. Desde que entrou na liga em 2013 esperamos que ele exploda. Este é o seu ano. Se a temporada acabasse hoje, MacKinnon faria o segundo melhor registo da sua carreira com 59 pontos. Não terá dificuldades em bater o seu recorde de 63 pontos numa temporada. O objetivo já tem que ser outro, os olhos estão já postos na barreira dos 100 pontos. Na série de 10 vitórias dos Avalanche, MacKinnon tem 19 pontos, oito golos e 11 assistências. Ele sim, é o verdadeiro responsável. 2017/18 é a época em que Nathan MacKinnon passou de “muito bom” a “bestial”.