Anterior1 de 2Próximo

Realizou-se esta semana o Welsh Open, disputado na Motorpoint Arena, em Cardiff. O torneio contou com a participação de 128 jogadores, dos quais acabou por ser John Higgins o grande vencedor.

As primeiras rondas do torneio revelaram-se traiçoeiras para alguns dos principais nomes do snooker mundial que, possivelmente afetados pela sobrecarga de jogos das últimas semanas, acabaram por ser eliminados precocemente por nomes menos cotados da modalidade.

Logo na primeira ronda, Shaun Murphy caiu com estrondo aos pés do experiente Gerard Greene, por uns expressivos 4-0.

A segunda ronda chegou e este fluxo de eliminações dos pesos pesados do snooker ainda aumentou. Ding Junhui, depois da final alcançada no Grand Prix na semana anterior, voltou a ser eliminado nas primeiras rondas de um torneio, ao ser batido por Liam Highfield, 68º do ranking mundial (4-1).

Pelo mesmo resultado, Judd Trump, terceiro da hierarquia mundial, foi eliminado por Noppon Saengkham. Enquanto o bi-campeão mundial e líder do ranking, Mark Selby, saiu da competição depois de uma derrota por 4-3 frente ao chinês Liang Wenbo.

Na terceira ronda, Mark Williams e Mark Allen foram os membros do Top-10 mundial a sair da competição, eliminados por Martin Gould e Gary Wilson, respetivamente. Depois de uns Oitavos-de-Final onde os teoricamente favoritos ainda presentes em prova se conseguiram superiorizar aos adversários, o torneio chegou aos Quartos-de-Final com um menu de jogos bastante interessante.

Desde logo pela existência de um confronto que já se tornou um clássico do snooker mundial: Ronnie O’Sullivan x John Higgins. Os dois jogadores de 42 anos têm, em conjunto, nove títulos mundiais e cada um deles contava, à entrada para este torneio, com quatro troféus do Welsh Open, podendo esta edição desempatar as contas entre os dois.

Este era o 66º confronto entre ambos, num historial em que o Rocket já tinha vencido por 34 vezes, Higgins contabilizava 28 vitórias, existindo ainda a registar três empates.

Os dois já se tinham defrontado por três vezes esta época, com duas vitórias para Ronnie O’Sullivan: 6-0 (Champion of Champions) e 6-2 (Masters de Xangai) e uma para John Higgins 5-0 (Scottish Open).

O encontro acabou por ser bem menos equilibrado do que se esperava, com Higgins a vencer por 5-1 e a assumir-se assim como principal candidato à vitória final do torneio. Noutro duelo quente, o jovem Yan Bingtao defrontava Barry Hawkins, tendo sido o britânico a vencer o encontro também por 5-1.

Ainda assim, destaque para mais uma boa performance do jovem chinês que, aos 18 anos, já é uma habitual presença nas fases mais avançadas dos torneios em que participa.

Nos restantes jogos, o inglês Gary Wilson bateu por 5-2 o chinês Yu DeLu, enquanto o tailandês Noppon Saengkham venceu Ian Burns por 5-3. Saengkham viria a ser derrotado por Barry Hawkins nas Meias-de-Final (6-4), mas conseguiu assim, aos 25 anos, carimbar uma participação bastante interessante numa prova pontuável para o ranking.

O mesmo se pode dizer de Gary Wilson que, apesar de também ele não ter sido capaz de fazer frente ao favorito John Higgins nas Meias-de-Final (6-2), teve um percurso muito consistente ao longo da prova.

Na final, mais um jogo escaldante. Entre John Higgins e Barry Hawkins, o equilíbrio no historial de confrontos dificilmente poderia ser maior. Nos 15 encontros disputados antes desta final, o escocês somava oito vitórias e o inglês sete.

Barry Hawkins e John Higgins abrilhantaram a final da competição
Fonte: World Snooker

Muitas expetativas para o encontro, que acabou por não desiludir. Ao intervalo da final o jogo estava empatado a quatro. Na segunda metade, dois frames de vantagem para Higgins (6-4), rapidamente recuperados por Hawkins (6-6). Higgins voltou a colocar-se em vantagem (7-6) e, mais uma vez, Hawkins empatou o encontro (7-7). No 15º frame, a emoção estava ao rubro e foi uma falha de Hawkins quando jogava à bola rosa que abriu as portas do encontro a Higgins. O escocês não desperdiçou, colocou-se na frente e viria mesmo a ganhar o frame seguinte e a encerrar o encontro com um 9-7.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários