cab Surf

Está a chegar a primeira prova do World Tour 2014. A Austrália, mais precisamente a Gold Coast, volta a acolher a primeira etapa do circuito, etapa esta que para muitos é a mais desejada, mais até que Pipeline, por terem passado já dois meses desde a última prova. Conhecidas pela perfeição e consistência, as ondas da Gold Coast atingem as condições perfeitas quando o o seu tamanho ronda entre o metro e meio e os dois metros.

Muitos são os favoritos. Por um lado temos o atual campeão mundial, Mick Fanning, que vai competir no “seu jardim”, uma vez que surfa todos os dias naquela onda. Joel Parkinson, campeão mundial de 2012, é também favorito, por ser australiano e por ter já duas vitórias na Gold Coast, a primeira em 2002 e a segunda em 2009. Kelly “King” Slater não fica para trás: o surfista norte-americano que é dono do título da Gold Coast do ano passado conta já com onze títulos mundiais e apesar de já ser quarentão continua a impressionar com as suas manobras imprevisíveis. Kelly já ganhou na Austrália quatro vezes. Tal como estes três grandes, temos também a nova geração: Gabriel Medina, Miguel Pupo, Owen Wright e Julian Wilson são os miúdos que surfam como homens grandes. Os seus aéreos e tubos são qualquer coisa e dificilmente não chegarão longe na competição.

Anúncio Publicitário

Dane Reynolds é outro. Apesar de o surfista já não fazer parte do World Tour por opção própria, o surfista natural da Califórnia entra em prova com wild card, uma vez que a marca que o patrocina patrocina também a prova.

Kelly Slater, Joel Parkinson e Mick Fanning. Os campeões de 2011, 2012 e 2013 respectivamente.Fonte: Meltyxtrem.fr
Kelly Slater, Joel Parkinson e Mick Fanning. Os campeões de 2011, 2012 e 2013 respectivamente
Fonte: Meltyxtrem.fr

Não podia também deixar de falar do grande “portuguese tiger”. Depois de vários meses parado devido a uma lesão no joelho esquerdo, Tiago “Saca” Pires, conhecido como “tiger” no WCT pelo seu surf agressivo, não pôde competir na maioria das provas do circuito de 2013, o que o impossibilitou de ganhar quaisquer pontos para se qualificar para o World Tour de 2014. Mas felizmente e com uma ajudinha do Pai Natal, em dezembro de 2013 o melhor surfista português de todos os tempos recebeu a notícia de que iria voltar ao WCT, sendo “injury wildcards”; isto é, devido à gravidade da lesão, ao ranking em que se encontrava quando se lesionou e às provas a que faltou, a ASP decidiu que “Saca” voltaria a competir este ano. Tal como o surfista da Ericeira, também Owen Wright é “injury wildcards”. Sendo assim, Glenn Hall e Dusty Payne  ficam de fora do circuito

Tiago "Saca" Pires está de volta. Fonte: Aspworldtour.com
Tiago “Saca” Pires está de volta.
Fonte: Aspworldtour.com

Dia 1 de Março começa o período de espera; estender-se-á até dia 12 de Março. Dentro destes 12 dias, muita ação acontecerá e, no fim, o vencedor da etapa ficará um passo mais perto de se tornar no novo campeão mundial. Aqui fica um vídeo dos melhores momentos das meias-finais e final do ano passado: