logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

ATP Challenger Tour Oeiras Open 1: Hegemonia lusa em pleno Jamor

UMA FASE DE QUALIFICAÇÃO AZIAGA PARA OS DE CABRAL

Com seis jogadores a garantirem entrada direta no quadro principal: Nuno Borges, Gastão Elias, João Domingues, Pedro Sousa, Pedro Araújo e Tiago Cação, outros cinco  tentariam juntar-se-lhes: Illia Stoliar, Miguel Gomes, Luís e Jaime Faria e Francisco Cabral, sendo afastados logo de entrada.

LESÕES DEIXAM QUADRO MAIS ABERTO QUE NUNCA

Depois de terem sido agraciados com uma isenção na ronda inaugural, os três mais credenciados jogadores do torneio fariam a sua estreia no Jamor, ou pelo menos era isso que se aguardava, pois, o sempre imprevisível gaulês Benoît Paire faria das suas! Ampliada ou não nunca saberemos, o que é certo é que após uma sessão de treino ligeira com o nosso Illia Stoliar a grande atração do torneio declarava não estar OK para defender as suas chances, desistindo da competição lusitana. Quanto ao italiano Mager, contrairia uma lesão no joelho que se revelaria suficiente para despojar ainda mais a prova, acabando por abdicar quanto perdia por 4-0 na  terceira partida do duelo com o compatriota Andrea Vavassori, com o 259º ATP a beneficiar e a avançar para a ronda seguinte.

ARMADA LUSA REDUZIDA A METADE

Com o nível a ser altíssimo, apenas: Borges, Sousa e Gastão ultrapassavam a 1ª eliminatória. Tiago Cação seria dizimado por expressivos 6-2 e 6-1 pelo cazaque Timofey Skatov (193º ATP)  a quem vejo bastante potencial para escalar no ranking. Pedro Araújo atualmente na posição 708ºATP seria derrotado por Nuno Borges por 6-4 e 6-2 num duelo fratricida de excelente nível, uma grande promoção ao valor do tenis nacional. João Domingues caía sem mácula diante de um jovem italiano Giulio Zeppieri, por sets diretos que deixam bem a nu que o campeão do Braga Open de 2019 está longe desse nível. Já Pedro Sousa em apenas dois parciais e Gastão Elias a necessitar de horas extra e três longos sets diante do norte-americano Alex Rybakov, vindo da fase de qualificação,  garantiam passaporte para a fase seguinte.

De evidenciar as imensas dificuldades colocadas por parte de Marco Moroni, jovem italiano(185º ATP) a Thiago Monteiro, com o esquerdino brasileiro a prevalecer ao fim de mais de 2h30m, em dois tie-breaks , em que apenas a melhor versão de  Monteiro evitou maiores embaraços.

NEM TODOS SOBREVIVERAM AO VENTO

O começo da 2ª ronda trazia não só muito vento como também alguma chuva e com isso o dia levaria os favoritos a sentirem extremas dificuldades,  com Stefano Travaglia a dizer mesmo adeus à capital, afastado pelo carrasco de João Domingues em parciais diretos, 7-6 e 6-4! Quanto a Monteiro parecia fadado a grandes e desgastantes batalhas, desta feita o desafiador foi o responsável pela queda de Cação de entrada. Foi, porventura o segundo melhor encontro da competição, com o brasileiro a vencer necessitando para isso de 3h30m  com os parciais finais de: 5-7, 6-2 e 7-6 num encontro que confirmou todo o potencial de Skatov, sendo que salvo melhor opinião terá apenas que melhorar a pouca paciência em grandes trocas de bola, assim como o jogo de rede.

Também o maiato Nuno Borges defrontando um búlgaro bem dentro dos duzentos primeiros, Dimitar Kuzmanov, teria uma tarefa tudo menos fácil! Depois de uma fase inicial de estudo mútuo no primeiro encontro de carreira entre ambos e de o mesmo ir decorrendo com breaks para ambos os lados em catadupa, a partida seria decidida num jogo decisivo, em que a maior consistência, qualidade de jogo e capacidade de desequilíbrio do lusitano levariam a melhor. Já no segundo e com Kuzmanov a vencer os dois primeiros jogos em branco, com Borges a denotar uma gigante quebra de concentração, seria a 3-5 e quando o búlgaro servia para conduzir a decisão a uma terceira partida que Nuno elevou o nível e acelerando a bola , principalmente de direita, não concedeu um mísero jogo que fosse até ao final do parcial, resolvendo a complexa equação com 7-5, reservando assim encontro com Thiago Monteiro nos ¼ de final.  A outra baixa provocada pelo agreste vento seria a do 5º cabeça-de-série e vencedor aqui em 2020, o checo Zdenek Kolar que caía diante do norte-americano proveniente da fase de qualificação, Noah Rubin, que prevaleceria por duplo 6-4.

O Diogo é licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Lusófona do Porto. É desde cedo que descobre a sua vocação para opinar e relatar tudo o que se relaciona com o mundo do desporto. Foram muitas horas a ouvir as emissões desportivas na rádio e serões em família a comentar os últimos acontecimentos/eventos desportivos. Sonha poder um dia realizar comentário desportivo e ser uma lufada de ar fresco no jornalismo. Proatividade, curiosidade e espírito crítico são caraterísticas que o definem pessoal e profissionalmente.

O Diogo é licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Lusófona do Porto. É desde cedo que descobre a sua vocação para opinar e relatar tudo o que se relaciona com o mundo do desporto. Foram muitas horas a ouvir as emissões desportivas na rádio e serões em família a comentar os últimos acontecimentos/eventos desportivos. Sonha poder um dia realizar comentário desportivo e ser uma lufada de ar fresco no jornalismo. Proatividade, curiosidade e espírito crítico são caraterísticas que o definem pessoal e profissionalmente.

FC PORTO vs CD TONDELA