Cabeçalho modalidadesO campeão do último torneio ATP da temporada foi o mesmo que na maioria dos torneios importantes da segunda parte da temporada: Andy Murray, o novo número 1 do ranking mundial. Não foi um torneio fácil para Murray, que esteve à beira da derrota contra Nishikori na fase de grupos e especialmente Raonic nas meias finais, em que o Canadiano chegou a ter ponto de encontro no terceiro set num encontro que demorou quase 4 horas.

A resiliência de Murray acabou por ser a chave de mais uma grande vitória, juntamente com a continuação do declínio que Djokovic mostrou na segunda metade desta temporada. O Sérvio deu boas indicações no caminho para a final, mas no encontro que decidia quem iria acabar o ano como número 1, mostrou-se completamente irreconhecível. Resta ver se o declínio é permanente ou se Djokovic voltará ao seu melhor nível em 2017. Para já, não há dúvidas de que o trono do ténis mundial pertence a Andy Murray, cuja série de vitórias consecutivas já vai em 25 encontros, não perde desde que del Potro o derrotou nas meias finais da Taça Davis em Setembro.

Foi um ano em cheio para Murray Fonte: Andy Murray
Foi um ano em cheio para Murray
Fonte: Andy Murray

Quanto ao resto dos participantes, Raonic chegou a #3 mundial, o seu ranking mais alto, fruto da sua presença nas meias finais em Londres; Nishikori voltou a demonstrar o porquê do seu fitness ser tão preocupante, quase que ‘desapareceu’ depois dum grande encontro de 3 horas e meia contra Murray na segunda jornada; Wawrinka e Cilic ganharam um encontro cada, mas estiveram longe do seu melhor nível – o Croata ainda assim subiu a #6 do mundo, o seu melhor ranking até à data, e tem ainda a final da Taça Davis em Zagreb para a semana; Thiem superou as expectativas da maioria e deu boa imagem apesar de não se ter conseguido qualificar para as meias finais; Monfils apareceu em Londres lesionado e a sua desistência pecou por tardia; por fim, Goffin entrou a substituir Monfils mas teve uma performance para esquecer contra Djokovic.

A temporada de 2016 conclui-se no próximo fim de semana, com a Argentina do sensacional Comeback Player of the Year Juan Martin del Potro a enfrentar a Croácia de Cilic am Zagreb.

Foto de capa: Australia Open

Anúncio Publicitário

Artigo revisto por: Francisca Carvalho