sl benfica cabeçalho 1Duplas. Há um longo historial de duplas funcionais como Bonnie e Clyde, Marge e Homer, Peter e Lois. Detectam um padrão? Todas estas duplas, fazendo mais ou menos bem, são duplas de romance. Trabalham juntos, amam-se (peço desculpa Gustavo Santos), crescem em prol do que o outro faz e ajudam-se um ao outro. Isto é o que falta à defesa do Benfica, uma dupla de centrais apaixonada.

Não estou com isto a sugerir uma espécie de Brokeback Mountain em pleno Estádio da Luz. Era só feio, demasiado público e podia trazer mais problemas do que os que já temos. Apenas apelo a um consenso. O chegar de um acordo entre duas partes, duas pessoas, que se entendem, que trabalham juntas, partilham experiências e que fazem o resto funcionar.

É tudo aquilo que se deve pedir a uma dupla de centrais, para além do óbvio talento. Em matéria de talento apresento a minha primeira proposta para a dupla, Rúben Dias. Jovem que começou a emergir na equipa principal este ano até se ter lesionado o que levou ao regresso da velha dupla Luisão/Jardel.

Não me interpretem mal, acho que Luisão e Jardel, no seu tempo, foram uma dupla bastante completa e com devido uso. Acontece que nesta altura é preciso algo mais e melhor. Rúben Dias já é visto por alguns adeptos encarnados como o futuro líder da equipa.

Rúben Dias é a primeira opção para fazer parte da dupla de centrais perfeita Fonte: SL Benfica
Rúben Dias é a primeira opção para fazer parte da dupla de centrais perfeita
Fonte: SL Benfica

A braçadeira, num cenário hipotético, assenta-lhe bem. Se juntarmos esse tal espirito de liderança, ao talento, à qualidade, ao saber sair a jogar, coisa que nenhum outro central do plantel do Benfica consegue fazer e a confiança temos central para durar muitos anos ou sair daqui a 3 anos por 20 milhões em mais um episódio do: “Jorge Mendes Negoceia”

Anúncio Publicitário

O que leva à outra parte desta parceria, um reforço. Temos de ser honesto, o Benfica precisa de ir às compras. Precisamos de um guarda-redes, apesar da chegada do tal miúdo alemão em Janeiro, de um lateral-direito, de dois médios, de um extremo-direito como deve ser, que se lixe o Salvio, de um atacante em melhor forma do que Jonas, tudo bem que são 17 golos mas metade foram de penalty, e de um defesa-central.

A meu ver é por este defesa central que passa a existência de uma nova parelha defensiva no Benfica. É ter Rúben Dias e mais um, na ordem dos 4/5 milhões de euros, dado o reduzido orçamento de 20 milhões dados por Vieira para gastar em reforços, que passa a construção de uma nova equipa e de uma nova defesa.

Bem sei que 20 milhões soa a pouco, mas isso vão ser núpcias para uma crónica em Janeiro quando já existirem nomes em cima da mesa e negócios fechados. Já agora, se der para vender o Rafa, o Gabigol, o Douglas, o Salvio e um ponta de lança, seja Jiménez ou Seferovic, melhor. Ah, e o Vitória.

Foto de Capa: SL Benfica