cabeçalho benfica

Desengane-se quem apenas viu o resultado. O Benfica goleou e conseguiu a primeira vitória na era Rui Vitória mas ainda há tanto para fazer para meter o Benfica a jogar de acordo com a qualidade que tem no plantel.

Num Estádio da Luz com cerca de 50 mil que quiseram mostrar que estão com a equipa, o Benfica demorou a pegar no jogo. Rui Vitória tem muito ainda que trabalhar tendo em conta o que foram os primeiros 45 minutos. Os mesmos problemas da pré-época e da Supertaça voltaram a ser visíveis, o Benfica não consegue criar oportunidades de perigo e com um estilo de jogo ainda muito confuso, muita bola pelo ar e poucas ideias. Do outro lado um Estoril inteligente, a explorar o contra-ataque aproveitando as dificuldades de Nelson Semedo e Eliseu em fechar as laterais. A primeira parte resume-se a isto. O Benfica tinha bola, tinha iniciativa mas faltava sempre o toque final para concluir a jogada. Gaitán e Jonas eram os únicos que iam aparecendo para dar outra imagem ao pálido jogo benfiquista. Com o passar do tempo e tendo como mote o golo bem anulado a Mitroglou, o Benfica foi melhorando, mas ainda longe do que pode fazer. Do lado do Estoril apareceu a melhor oportunidade da primeira parte. Num lance onde Luisão não fica isento de culpas, Bonatini ficou isolado e foi Júlio César, com uma grande mancha, a impedir o pior. Um golo a terminar a primeira parte era o pior que podia acontecer a um Estádio da Luz já de si bastante impaciente com a forma de jogar do Benfica. Ola John era a imagem de um jogo sem fio. O holandês continua a ser um 0 e se não fosse Nelson Semedo a ajudá-lo no ataque pior ainda seria.

Que continues assim, miúdo! Fonte: Facebook do Benfica
Que continues assim, miúdo!
Fonte: Facebook do Benfica

Se ao intervalo, o Estoril estivesse a ganhar, não seria surpresa nenhuma. E o inicio da segunda-parte voltou a mostrar o mesmo filme da primeira até ao momento em que Rui Vitória percebeu o que tinha de mudar. Pizzi (dos piores jogos com a camisola do Benfica) e Ola John estavam a mostrar 0 e para os seus lugares entraram Talisca e Victor Andrade(prémio justo depois de boas exibições na equipa B), respectivamente. E o jogo do Benfica melhorou. O Estoril fez entrar Mattheus e Bruno César(aplaudido no regresso à Luz), mas as opções tomadas não mexeram com o jogo e apenas contribuíram para a vitória do Benfica, que começou a ser construída aos 71 minutos por Mitroglou (que venham muitos mais). Depois foi Jonas Pistolas a fazer aquilo que sabe tão bem (que saudades que eu já tinha de te ver a marcar) e o miúdo Nelson Semedo a marcar o seu primeiro, numa estreia muito positiva.

Um resultado enganador, o Estoril não merecia a goleada e ainda há muito por onde trabalhar. A falta de oportunidades de perigo e de ideia de jogo ainda é gritante. No entanto nem tudo são coisas más e há a destacar a entrada de 2 miúdos que vão dar que falar. Victor Andrade mexeu com o jogo e conta já com uma assistência e de Nelson falarei na figura do jogo. De resto, os magos Gaitán, Jonas e Júlio César continuam a mostrar aquela classe já habitual. Uma palavra para a arbitragem, que esteve mal, com 2 lances na área do Benfica que merecem discussão. Ainda só estamos na primeira jornada e já vemos vários casos. Para quando a ajuda tecnologia?

Anúncio Publicitário

O Benfica venceu hoje porque tem melhores jogadores, mas Rui Vitória ainda tem um longo trabalho pela frente. No entanto, fica aqui o meu voto de confiança ao treinador. Hoje as suas mexidas foram determinantes para a vitória. É certo que estamos habituados a entrar fortes em casa, foram 6 anos disso, foram 6 anos de futebol espectáculo, mas os benfiquistas precisam de fazer o (não tão fácil) exercício de esquecer o que foram esses 6 anos e não pedir já o mundo a um treinador que está agora a chegar a uma nova realidade. Rui Vitória tem falhado (não é o único) mas continuo a acreditar que podemos fazer coisas boas com ele. Só precisa de não ter medo de acreditar nas suas ideias.

A Figura:

Nelson Semedo – O jovem jogador já tinha mostrado que pode agarrar o lugar e hoje voltou a confirmar isso. Muito bom a atacar, ainda precisa de melhorar a defender mas é jogador para podermos contar com ele e acredito que crescerá durante a época. Não podia pedir estreia melhor

O Fora-de-jogo:

Ola John – Quando não dá, não dá. As oportunidades que o holandês teve com Rui Vitória já foram demasiadas e até agora mostrou muito pouco. Juntando a isto os restantes anos que já tem no Benfica, Ola John não esteve só desaparecido no jogo de hoje como está desaparecido desde que chegou à Luz. Se a titularidade tem como objectivo valoriza-lo para o vender, mais só faz com que os pretendentes desistam do jogador. O seu tempo no Benfica acabou (será que alguma vez começou?) e tem de sair o mais rápido possível.

Comentários