Mais um talento e mais um artigo para esta interminável rubrica do Estrelas da Formação. O Caixa Futebol Campus é realmente um viveiro de qualidade, onde, a cada temporada que passa, vamos ficando sempre encantados com os jogadores que por lá vão aparecendo. Em qualquer setor do campo, existem várias individualidades a emergir e a mostrar que poderão ser ótimas opções para a equipa principal num futuro breve.

Desta vez a escolha recaiu sobre Nuno Santos, jovem médio de 19 anos, que é um dos Campeões Europeus de Sub-19 a par de Florentino Luís e Jota. Natural do Porto, Nuno foi jogador das Escolinhas do FC Porto e do Boavista FC e foi precisamente dos “axadrezados” que chegaram ao SL Benfica com idade de Iniciado. Quando atingiu a idade de Junior, nesse mesmo escalão despontavam nomes como Gedson Fernandes, Filipe Soares, Diogo Pinto, João Filipe ou Tiago Dias, que eram consideradas opções preferenciais da equipa técnica, pelo que Nuno Santos acabou por ser emprestado ao CF “Os Belenenses” de forma a dar continuidade à sua evolução.

Anúncio Publicitário

A experiência no Restelo correu bem e logo na temporada seguinte (2017/2018) voltou ao Seixal para integrar o projeto da equipa B. Esta temporada foi repartida entre a equipa secundária e a equipa de Juniores, e podemos dizer que em ambas deu para vislumbrar aquilo que Nuno Santos é enquanto jogador, principalmente nos Juniores, onde o jovem foi peça fulcral na conquista do Campeonato Nacional. Na presente temporada, Nuno tem sido fundamental na caminhada da UEFA Youth League (contando com cinco golos em seis partidas), mas é mesmo na equipa B onde tem sido opção regular. Passemos agora a conhecer o jogador em si.

Nuno Santos apresenta uma estatura média (1,77m) e uma condição física muito interessante, que o fazem ser bastante consistente dentro de campo e jogo após jogo. Razoavelmente rápido sem bola, é bastante ágil com ela no pé e tem uma capacidade muito boa no momento da mudança de velocidade. Estes atributos ajudam-no a escapar ao confronto direto e físico com os seus adversários e acabam por compensar esse que poderá ser o seu maior handicap.

Nuno Santos tem trilhado o seu caminho de forma sublime e começa a ser um nome a ter em conta para o futuro
Fonte: SL Benfica

Técnica, técnica e mais técnica. Nuno Santos é um jogador bastante aprimorado neste aspeto do jogo. Podemos até dizer que esta é uma das suas maiores armas e que melhor o definem enquanto jogador. Possui um drible refinado e um primeiro toque de grande nível, que o ajudam a retirar do caminho o adversário direto com alguma facilidade. A sua capacidade de passe é igualmente muito boa, sendo que se destaca no passe a longa distância e nas variações de flanco que executa com bastante precisão. Nuno tem também um remate forte e colocado, que ameaça as balizas adversárias. Com o passar do tempo, tem mostrado uma evolução bastante boa ao nível da finalização, o que poderá elevar a dimensão do seu jogo para um outro patamar. É também um dos batedores de bolas paradas da equipa B.

No geral, a forma de jogar de Nuno Santos é realmente capaz de aproximar a equipa do golo. Bastante inteligente nas suas ações, gosta de assumir o jogo e possui uma visão de jogo de extrema qualidade. É bastante imprevisível, sabe sempre que espaços deve ocupar quando não tem bola e, quando a tem, confia nas suas capacidades, partindo de forma determinada para cima do oponente, sem receio.

Ao mesmo tempo, é de salientar o critério e a capacidade para tomar boas decisões que oferece no momento de Organização Ofensiva. Nuno pode jogar a partir de uma das alas (preferencialmente a esquerda, de forma a procurar os corredores mais centrais), mas é mesmo como médio de construção e com ocupação no corredor central onde se poderá notabilizar.

Este médio de enorme qualidade tem passado por entre os pingos da chuva e parece que ainda muito pouca gente se apercebeu do diamante que aqui está por lapidar. Pessoalmente, creio que este será o ano de viragem para Nuno Santos e que, na próxima temporada, se irá afirmar como um dos melhores talentos nacionais da atualidade.

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: SL Benfica