Terceiro Anel

Liverpool, 8 de Abril de 2010: Jorge Jesus coloca David Luiz a defesa-esquerdo, quando nada o fazia prever, e monta uma estratégia bastante temerosa para o Liverpool vs Benfica, em partida a contar para a 2ª mão dos quartos-de-final da Liga Europa. Resultado final? Liverpool 4-1 Benfica.
Aveiro, 7 de Agosto de 2010: FC Porto coloca o então campeão nacional Benfica de cócoras. Os comandados de Jorge Jesus são completamente dominados e subjugados perante o rival, e o resultado final até peca por escasso (Porto 2-0 Benfica).

Porto, 7 de Novembro de 2010: toda a nação benfiquista fica em choque com uma humilhante derrota por 5-0 no Estádio do Dragão. Exibição ridícula, estratégia anti-Hulk, resultado dramático.
Lisboa, 3 de Abril de 2011: FC Porto sagra-se campeão nacional no Estádio da Luz, após vencer o Benfica por 2-1. Completamente dominada pelos “dragões”, a equipa de Jorge Jesus arrasta-se em campo.
Lisboa, 20 de Abril de 2011: pouco mais de duas semanas depois, o FC Porto volta a fazer miséria na Luz. Em jogo respeitante à 2ª mão das meias-finais da Taça de Portugal, o Benfica desaproveita de uma forma inacreditável a vantagem que tinha trazido do jogo da 1ª mão, no Dragão.
Braga, 5 de Maio de 2011: com uma derrota por 1-0 em Braga, o Benfica é eliminado nas meias-finais da Liga Europa.
Lisboa, 2 de Março de 2012: Benfica perde em casa por 3-2, frente ao FC Porto. E, pior que isso, cede a primeira posição à equipa azul-e-branca, quando três jornadas antes tinha cinco pontos de avanço.
Lisboa, 9 de Abril de 2012: Benfica despede-se do título, depois de perder por 1-0 em Alvalade, frente ao Sporting. Equipa sem atitude, sem génio, desgarrada, desolada.
Porto, 11 de Maio de 2013: Kelvin coloca o mundo benfiquista num pranto. Jesus de joelhos, Benfica praticamente KO, campeonato que parecia decidido para os “encarnados” a esfumar-se com um golo à beira do apito final.
Amesterdão, 15 de Maio de 2013: final da Liga Europa, fantástico Benfica, derrota no último suspiro do jogo. Azar interminável, injustiça no resultado, mas vitória para os ingleses.
Jamor, 26 de Maio de 2013: final da Taça de Portugal, derrota por 2-1 frente ao Vitória de Guimarães, exibição miserável, com um pós-jogo marcado pelo incidente Jesus/Cardozo.

Jorge Jesus, Treinador do Benfica / Fonte: football365.com
Jorge Jesus, Treinador do Benfica
Fonte: football365.com

Não, isto não é o guião para a próxima telenovela da TVI, mas sim o enunciado de uma série de desaires do Benfica, desde 2010. Se o azar esteve presente em muitos destes momentos, a incompetência também foi uma nota dominante em variadas alturas. Mesmo assim, optei por não colocar, nesta listagem negra, momentos pertencentes a esta temporada 2013/2014, que tem sido, até agora, um tormento para a equipa do Benfica.
Na minha modesta opinião, Jorge Jesus deveria ter saído do Benfica no final da temporada passada. O desgaste é tremendo, é visível aos olhos de toda a gente o desencantamento do plantel em relação ao técnico amadorense; não existe uma ponta de alegria.

Luís Filipe Vieira colocou à disposição de Jorge Jesus um grupo de trabalho fantástico, recheado de jogadores de alto nível. Porém, os resultados têm sido aquilo que se vê: más exibições, uma falta de empenho tremenda por parte dos atletas, um Jesus completamente impotente para reverter a situação.
Estamos em Portugal e não em Inglaterra, e, como tal, um clube grande não pode estar muito tempo sem vencer nada, com o mesmo treinador.
Jorge Jesus aufere um salário de sonho para aquilo que é o futebol cá do nosso burgo, e por isso mesmo tem quase nas suas mãos o presidente do Benfica. Será que Vieira não quer indemnizar Jorge Jesus? Será que Vieira ainda acredita no treinador dos encarnados?

Pessoalmente, eu não acredito. Nunca gostei de ser um arauto da desgraça, ainda para mais em relação ao Benfica, mas não antevejo nada de bom. Penso que, mais tarde ou mais cedo, a saída de Jorge Jesus será inevitável. E assim sendo, respondendo ao título deste artigo, sim, será o final de um ciclo. E será o final de um ciclo apenas para Jesus? E para o presidente do Benfica – presidente esse cada vez mais contestado, e que se perde constantemente em declarações dúbias e desconexas?

Pois é, pois é. Já chega de perguntas, e, por isso mesmo, esperemos pelo Estoril vs Benfica desta jornada da Liga Zon Sagres. Uma coisa é certa: em qualquer área profissional, depois de tanto mau resultado e desempenho, um qualquer funcionário já teria sido despedido. Portanto, caro Jorge Jesus, arrepia caminho e orienta lá a coisa. Tens um plantel excelente, grandes instalações para fazeres o teu trabalho, um salário chorudo, milhões de adeptos sedentos de vitórias. Mete o Benfica a vencer, por favor!

Mas sim, penso que estás a gozar os teus últimos momentos como técnico do Sport Lisboa e Benfica.

Comentários