Começa a despontar no plantel do Sport Lisboa e Benfica um jogador do qual se espera muito, quer seja pelo valor que custou, quer pela qualidade que lhe é reconhecida, mas tarda em se mostrar. Pedrinho chegou a Portugal a troco de 18 milhões de euros, que o SL Benfica pagou ao SC Corinthians no início da presente temporada e finalmente começa a ganhar minutos ao serviço da equipa de Jorge Jesus.

Recorde-se que Pedrinho chegou ao SL Benfica após estar vários meses sem competir, sendo, posteriormente, vítima de lesões, o que ajuda a justificar o atraso na afirmação do jogador na equipa. O jovem brasileiro foi titular no último jogo frente ao Boavista FC, que saiu vencido do encontro com as “águias” por duas bolas a zero, com bis de Seferovic.

Repare-se, Pedrinho não era titular pelo SL Benfica desde o dia 20 de dezembro, data do jogo com o Gil Vicente FC a contar também para a Primeira Liga, que teve como resultado uma vitória encarnada, também ela por duas bolas a zero.

Com vinte e quatro jogos disputados esta temporada, Pedrinho conta com apenas um golo e quatro assistências, mas nem só de números vive um jogador de futebol. O brasileiro tem vindo a subir de rendimento e a mostrar o porquê de ter sido um dos jogadores mais caros da história do SL Benfica. Pedrinho é um daqueles jogadores que, num momento de inspiração, pode desequilibrar a defesa adversária e criar uma oportunidade clara de golo.

Anúncio Publicitário
Pedrinho vai conquistando o seu lugar no SL Benfica
Pedrinho vai aos poucos afirmando-se no SL Benfica
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Não servindo de desculpa para a tardia afirmação do brasileiro, o plantel do SL Benfica dispõe de inúmeras alternativas para a posição de Pedrinho. Ora bem, este pode atuar tanta na ala, sobretudo na direita, como a segundo avançado, sendo que para ambas as posições existem vários nomes que se perfilam. Na ala direita surgem nomes como Pizzi, Rafa Silva e até Diogo Gonçalves, mas este último parece ter encontrado o seu lugar no onze na posição mais recuada da lateral direita.

Com Rafa a jogar ao nível a que já nos habituou, é complicado retirar-lhe o lugar. Ainda assim, Pedrinho desempenha funções como médio esquerdo. Contudo, a concorrência desse lado tem apenas um nome em destaque. Everton tem sido o jogador que mais tem jogado na ala esquerda, mas existem nomes como Franco Cervi e até mesmo Rafa Silva que também podem jogar nesse flanco.

Ainda mais esporadicamente, Pedrinho pode atuar como segundo avançado, mas aí a luta por um lugar é ainda mais feroz do que nas alas. Para esta posição perfilam-se Luca Waldschmidt, Gonçalo Ramos, Haris Seferovic, Chiquinho e, finalmente, Pedrinho. O alemão Luca Waldschmidt tem sido o dono habitual desta posição e, na sua ausência, a função recai, normalmente, para Chiquinho, o que retira Pedrinho da “corrida” por um lugar.

Assim, resta a Pedrinho continuar a trabalhar para “roubar” um lugar do qual possa chamar seu, não sendo garantido, claro está. Qualidade não lhe falta, mas ainda precisa de ganhar consistência e, sobretudo, adaptar-se definitivamente ao futebol europeu, que parece ser ainda um pequeno problema para o jogador.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome