sl benfica cabeçalho 1

Chega a esta fase da temporada e que dou por mim a escrever sobre um jogador pelo qual não morro de amores, que pode substituir um outro jogador que odeio, para uma posição na qual o Benfica, por mais estranho que pareça, está deficitário em circunstâncias, mais ou menos, animadoras.

Em nenhum momento da minha vida achei que iria estar a calcular uma “solução” em que para o lugar de Salvio a opção é o Rafa Silva. A primeira pergunta a colocar é: Até que ponto é que as coisas andam mal, visto que o Rafa pode ser a melhor alternativa ao Salvio?

O Salvio, fora o já documentado e sobejamente elogiado, faro de golo, é uma nulidade de jogador. Porque, quando esse tal faro não está calibrado, é fraco que dói. Ora, isto já é mais ou menos do conhecimento público.

Até aqui tudo bem. Onde é que a porco torce o rabo? Quando para o lugar de um Salvio, entregue ao departamento médico, a resposta é Rafa. Pois bem. Rafa Silva, oriundo de Braga a troco dos 15 milhões de euros mais mal gastos da história, tem poucos minutos nas pernas… Em 3 anos.

O extremo argentino pode ser baixa na equipa de Rui Vitória e tem sido uma peça importante Fonte: SL Benfica
O extremo argentino pode ser baixa na equipa de Rui Vitória e tem sido uma peça importante
Fonte: SL Benfica

O futebol português não tem estofo para suportar equipas que gasta 15 milhões num jogador e mal lhe dão uso. Basta lembrar os 25 milhões gastos pelo Porto no Imbula. Logo, a coisa não muda de figurino com Rafa.

Fora a parte que diz respeito ao negócio, Rafa vale tanto como Salvio em termos práticos. A verdade é esta. Se Salvio tem a tal capacidade de marcar, Rafa tem o skill a nível de drible e a rapidez que dão mais profundidade ao jogo encarnado. Aliás, eles trocam. Salvio é fraco em skill, mas “bom” na hora de marcar. Rafa é bom nas fintas, horrível na altura de decidir os lances.

Portanto, na prática, não é uma troca muito benéfica. Diria até que é deixar tudo na mesma. Logo, em resposta à pergunta desta semana, será Rafa uma alternativa a Salvio, digo que não. É tirar cenouras por cenouras. Não acrescenta nada.

Honestamente, para o lugar de extremo-direito, a ideia mais “aceitável” seria encostar Zivkovic a extremo e voltar a apostar em João Carvalho ou se as coisas tiverem mesmo apertadas, em Samaris, para terceiro elemento de meio-campo.

Digo isto para que a equipa continue com um certo equilíbrio, fundamental, nesta altura, para continuar a sonhar com o penta.

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários

Artigo anteriorCS Marítimo: A queda de um candidato europeu
Próximo artigoEstrelas da formação: Fede Varela
João Valente é um apaixonado pela arte do futebol. Nascido e criado durante boa parte do tempo em Lisboa, começou a seguir este desporto com uns tenros quatro anos e, desde então, tem sido um namoro interminável. É benfiquista de gema – mas não um que só vê Benfica à frente! É alguém que sabe ser justo quer o Benfica ganhe ou perca e que está cá para salientar os porquês, na sua opinião, dos resultados. Como adepto de futebol que é não segue só a atualidade do futebol português; faz questão também de acompanhar a par e passo o que de mais importante acontece nos principais campeonatos. A conjugar com o seu interesse pelo futebol, e pela malha, desporto que descobriu porque o seu avô era campeão lá na rua, veio a escrita, forma que encontra de expor os seus pensamentos na esperança de um dia se tornar num grande jornalista de desporto, algo que dificilmente acontecerá mas, tudo bem, ele um dia há-de perceber isso.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.