O Sporting Clube de Portugal e o Sport Lisboa e Benfica medem forças para mais um derby eterno. O derby número 404 da história dos duelos entres os dois emblemas lisboetas. Analisando um pouco a história desses derbys, percebemos facilmente que o Benfica é o clube com mais vitórias, 130, contra as 108 do Sporting. Já 65 jogos terminaram empatados no tempo regulamentar.

Este derby tem especial atenção devido à sua importância no campeonato desta época. Os três resultados possíveis vão afetar profundamente os cálculos matemáticos da tabela classificativa e os sonhos, tanto do Sporting como do Benfica. Os leões entram em campo com a obrigatoriedade de conquistar os três pontos. Três pontos que simplesmente dão esperança ao Sporting de continuar na luta pelo título nacional. Caso esses três pontos sejam conquistados pelas águias, o Sporting fica arredado dos primeiros lugares e da aproximação ao topo da tabela, e mantém viva a esperança dos adeptos do Benfica na luta pela reconquista. O empate será a distribuição do mal pelas aldeias e, consequentemente, o melhor resultado para os adeptos e plantel do Futebol Clube do Porto.

O Benfica entrará em campo no Estádio José Alvalade com duas baixas confirmadas e ausências consequentes do mercado de transferências. As baixas são Fejsa e Jonas. As ausências são Ferreyra, Alfa Semedo e Castillo. Não falando destas três ausências, foquemo-nos nas de Fejsa e Jonas. Para justificar o não surgimento destes dois atletas nos escolhidos por Bruno Lage está a lesão de cada um, que os tem afastado das últimas convocatórias do técnico encarnado. O Sporting também não contará com três caras bem conhecidas: Mathieu, Acuña e Ristovsky. Os dois primeiros encontram-se em tratamento de lesões antigas e o defesa direito está castigado disciplinarmente pela Liga.

Bruno Fernandes está em grande destaque. Os defensores encarnados não podem tirar os olhos do jovem médio português
Fonte: Sporting CP

Espera-se que ambos os clubes procurem as fragilidades do adversário e, a meu ver, essas fragilidades estão todas nos dois setores defensivos. O Benfica tem mostrado alguns problemas defensivos esta temporada. É verdade que melhorou com Bruno Lage, mas todo o cuidado é pouco. O Sporting encontra-se sem três habituais titulares na linha defensiva e esse será um dos pontos interessantes a analisar durante o jogo. Jefferson e Bruno Gaspar, atletas que, à partida, vão jogar, mostram níveis de qualidade e exigência baixos para representar um clube como o Sporting. O meio-campo será talvez o setor que mais vezes terá a bola durante o jogo, isto, claro, caso o jogo seja muito de meio-campo e receio/dificuldade em entrar no último terço do terreno. O trio do meio-campo do Sporting tem muitíssima qualidade, mas alguma inexperiência. Destaca-se pela positiva o trabalho brilhante de Bruno Fernandes na hora de transportar bola e finalizar às redes adversárias. O Benfica entrará, à partida, com um meio-campo forte fisicamente. Samaris fará companhia a Gabriel, e Pizzi será um extremo interior que ajudará sempre que necessário.

Espera-se que o meio-campo do Sporting e do Benfica seja protagonista e fundamental para que o jogo tenha um sentido interessante para os adeptos, seja defensivamente ou ofensivamente. O ataque será também ele colocado à prova nesta partida. O Sporting terá a experiência de Nani e a qualidade de Bas Dost para procurar fazer estragos na defesa vermelha e branca. O Sporting tem à sua disposição um ataque de muita qualidade, onde se mistura a juventude, o talento e a experiência de um leque de jogadores que está a dar cartas nas mãos do técnico Holandês. O Benfica entrará em campo com João Félix e Seferovic: dois jogadores que estão a mostrar muita qualidade no último terço do terreno. A boa química entre eles, o fator da não existência de uma tática redigida e, consequentemente, a liberdade que ambos têm de surgir em outras zonas do terreno ajudou imenso no aumento de golos marcados por ambos nas últimas partidas. Por fim, destaque para dois guarda-redes: Renan e Odysseas. Dois magníficos guarda-redes que estão a mostrar o porquê dos dois clubes terem apostado neles. Renan foi o salvador da Taça da Liga, Odysseas fez esquecer Bruno Varela. Já não há muito mais a elogiar nestes dois atletas.

Espera-se um derby de emoções fortes. Um derby que será decidido em pequenos detalhes. Um derby decisivo para o restante campeonato e que colocará à prova os coletivos de jogadores de muita qualidade. Um derby que será visto ao detalhe por parte do universo portista, que fará questão de que o Benfica possa sair derrotado ou de que haja um empate no pior dos cenários. Acima de tudo, acima do que pode acontecer no final da partida, apelo a que os intervenientes, jogadores, técnicos, árbitros, adeptos, sócios e presidentes mostrem elevados níveis de educação, civismo e respeito. Um jogo desta dimensão será visto por milhares de pessoas, incluindo crianças, e terá de ser um exemplo para todos aqueles que vão ver o Derby Eterno. Acima de tudo, o futebol é uma festa.

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: SL Benfica

Comentários