SITE TEMPORÁRIO

26 de Janeiro, 2022

5 motivos pelos quais o FC Porto não deveria contratar em Portugal

2.

Muitos vêm sem provas dadas – Este ponto não deixa de estar conectado ao anterior. Visto que os valores pedidos pelos emblemas tradicionalmente mais fortes no futebol português são, muitas vezes, demasiado volumosos, as atenções acabam por dirigir-se para opções mais low-cost. E, por mais baratos, entende-se também que os alvos estejam menos preparados para representar um FC Porto, menos preparados para jogar todos os jogos para vencer, menos preparados para adeptos exigentes, menos preparados para um grande.

Devido a isso, muitos acabam por acusar a pressão e passar longe dos registos que obtiveram nos seus outros clubes. Exemplos disso são o que não faltam: Ghilas (vem de marcar 16 golos pelo Moreirense), Licá (era um dos destaques daquele Estoril comandado por Marco Silva que termina o campeonato na quinta posição), Paulinho (encantava no Portimonense) ou Fernando Andrade (participa diretamente em sete golos num Santa Clara que se encontrava na metade superior da tabela).