dragaoaopeito

Afastado da Liga e motivado para a Europa: estas são as duas conclusões que se poderão retirar da actualidade portista. A 12 pontos de Benfica (um absurdo e uma vergonha) no campeonato e nos quartos-de-final da Liga Europa contra um acessível (não fácil) Sevilla, o Porto tem agora duas questões para resolver: o foco na Taça de Portugal como o troféu menos-mau a nível nacional e a questão da Taça da Liga, suspensa pela birra de Bruno de Carvalho (dele, não da equipa ou do treinador, que estão a fazer uma época fantástica).

Com o campeonato entregue ao Benfica, que vai poder ter o seu último jogo no Dragão certamente com a cara pintada e já com algumas semanas de festejos, interessa saber como irão o clube e a equipa posicionar-se relativamente às Taças, que, diga-se o que se disser, são apenas troféus de contentamento em épocas decepcionantes. E se esse mesmo argumento já foi utilizado para atacar os clubes de Lisboa, este ano toca-nos a nós. Em ambas as competições o adversário será o mesmo e, tendo em conta esse facto, a vontade e a garra para vencer e pelo menos garantir alguns sorrisos aos adeptos (porque festejos efusivos como os do minuto 92 só mesmo para o ano) poderá ser maior.

Procura-se motivação para a restante época  Fonte: Yahoo
Procura-se motivação para a restante época
Fonte: Yahoo

A grande mais-valia do Porto é já se ter aceitado no seio do clube que esta época é de transição e que tudo o que vier agora é bom. A motivação para as Taças não é seguramente muita (pelo menos não ao nível da Liga Europa) e é essa a minha maior preocupação, já que, ainda que sendo contra o Benfica, são jogos fora dos holofotes internacionais. Além disso, os índices de rivalidade este ano estão muito mais baixos, não acreditando sequer que o estádio encha minimamente para estes encontros, até porque são a meio da semana.

A grande mais-valia para o Benfica é que, mesmo não estando a fazer uma época excelente com exibições de encher o olho, tem a possibilidade real de ganhar tudo o que há para ganhar; os índices de motivação dentro do plantel estão altíssimos e há uma grande tranquilidade dentro do clube e entre os adeptos.

Anúncio Publicitário

Se é possível dizer que a conquista de uma Liga Europa salvaria a época (havendo a possibilidade de encontrar novamente o Benfica), então também é necessário ser sincero e admitir que ganhar uma das Taças é um bocado indiferente na cabeça de muitos adeptos e dos jogadores (ninguém vai festejar para a rua devido a uma Taça, pois não?). Ainda assim, é preciso olhar para estas eliminatórias como jogos contra o Benfica e não como jogos da Taça, porque essa é a única forma de encontrar motivação neste momento.

Todos ansiamos por que esta época de pesadelo se torne uma época à Di Matteo (abordarei este tema no meu próximo artigo) e por que títulos se sobreponham à péssima prestação na Liga e aos casos anormais que aconteceram no Porto este ano. Falo por mim, uma Liga Europa e uma Taça de Portugal já me fariam esquecer o Santo António antecipado que vai haver no Marquês…

Comentários

Artigo anteriorUma questão de identidade
Próximo artigoRio Ave: tranquilidade e qualidade
“Lisboa tem mais encanto pintada de azul branco”, o lema de qualquer portista de Lisboa que se preze. Em 22 anos, não me cansei de festejar. Com o Dragão longe mas sempre no coração, é demasiado fácil ser campeão.                                                                                                                                                 O Telmo não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.