A pré-época corre a passos largos para o seu epílogo. No próximo fim de semana a equipa do FC Porto será apresentada aos sócios (recebe o Newcastle) e na semana seguinte já tem o primeiro jogo oficial da temporada (5 de Agosto) frente ao Desportivo das Aves, numa partida a contar para a decisão da Supertaça Cândido de Oliveira. Quer isto dizer que, a duas semanas do arranque da época, a equipa do Porto tem a pairar sobre ela um número desmesurado de dúvidas e a chegada de reforços (ou falta dela) começa a fazer soar os alarmes dos adeptos portistas.

Todos os dias os adeptos são presenteados com notícias esperançosas sobre este ou aquele reforço de primeira linha que está para chegar mas a verdade é que tal teima em não suceder. Chegaram, até agora, João Pedro, Saidy e Ewerton e nenhum parece mostrar, no momento, qualidade inegável e capacidade de ser primeira opção. Os dois últimos já foram, inclusive, dispensados por Sérgio Conceição.

Começa a tornar-se preocupante a falta de capacidade da SAD no ataque ao mercado. Róger Guedes (Extremo ex Atlético Mineiro) e Bissouma (médio ex Lille) foram dados como muito próximos de fechar contrato com o FC Porto e acabaram por rumar a outras paragens. Acredito que teriam sido dois reforços de peso. Mbemba (central do Newcastle) já foi dado como certo no clube há mais de um mês e chegou apenas esta segunda-feira. Éder Militão (central do São Paulo), de quem também se diz ter viagem marcada para Portugal ainda esta semana, está a ser apontado ao clube desde Janeiro. São alguns casos sintomáticos que atestam bem as dificuldades de manobra do FC Porto no mercado e que justificam algum já notório desconforto e impaciência de Sergio Conceição. Aliado a tudo isto, paira, também, no ar a possibilidade de novas saídas (Alex Telles, Aboubakar e Diogo Leite à cabeça).

Mbemba já chegou mas Sérgio Conceição aguarda mais reforços
Fonte: FC Porto

Jogadores importantes saíram e as suas vagas não foram, ainda, colmatadas. Torna-se impossível dissociar toda esta questão e todos estes dossiers da debilitada situação financeira do clube, que a imprensa insiste atenuar e relativizar, e que me parece ser, porventura, o fator que maior preocupação deve gerar na nação portista. Há um claro desnorte na preparação da época que não pode nem deve ser escamoteado por um jogo mais positivo da equipa frente ao Everton no passado Domingo.

Resta aguardar pelos próximos dias e desenvolvimentos para que exista uma visão mais clara de qual vai ser o desenho final do plantel do FC Porto e perceber se a direção liderada por Pinto da Costa vai ter a capacidade de munir a equipa dos reforços importantes e prometidos só treinador aquando da recente renovação de contrato.

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: FC Porto

artigo revisto por: Ana Ferreira