Está dado oficialmente o pontapé de saída na época 2019/20 e com ele conhecemos o calendário completo da principal prova nacional, a Primeira Liga. Depois de realizado o sorteio – que pouco tem disso mesmo, dadas as inúmeras condicionantes – os clubes e seus adeptos já podem preparar, com a devida antecedência, a época que se avizinha e pela qual todos anseiam.

Relativamente ao calendário do Sporting CP, é inevitável não reparar na reta final do campeonato, que reservou para as últimas três jornadas as visitas ao Dragão e à Luz, intercaladas pela receção ao Vitória FC. No entanto, a verdade é que estes jogos só serão de verdadeira importância, para as contas do clube de Alvalade, se em maio o leão ainda tiver as garras bem afiadas – mas já lá vamos.

Antes de mais, é de realçar algo que se tem tornado uma tendência no calendário futebolístico nacional: a crescente emergência das equipas do Norte na Primeira Liga. No total, dez dos dezoito clubes que compõe o principal escalão estão localizados nessa zona e todos eles se concentram, inclusive, num raio de 25 quilómetros. Desta forma, o Minho soma, pela primeira vez, cinco equipas na Primeira Liga, enquanto que as outras cinco moram no distrito do Porto.

Quanto às restantes oito equipas equipas, a zona da Grande Lisboa continua com os mesmos quatro representantes e assim, Portimonense SC, Santa Clara, Marítimo e CD Tondela são os únicos emblemas que fogem à “ditadura” geográfica imposta pela bipolarização norte-sul de Portugal continental, algo que se revela a vários níveis no nosso território e do qual o futebol é também reflexo. Posto isto e depois do que foi a temporada passada, o Sporting CP de Marcel Keizer terá de melhorar o seu jogo como visitante, sobretudo a sua pronúncia do Norte, pois como é observável, são muitos os pontos que terão de ser resgatados por lá.

É inegável que o campeonato nacional é a prova que faz sonhar todos os adeptos verde e brancos. A expectativa é sempre alta e o almejado título – que foge desde o longínquo ano de 2002 – é o único bálsamo que o universo leonino aceita para compensar a espera interminável. Mas para isso, a turma de Alvalade terá de ser a equipa que não foi no ano passado, isto é, uma equipa regular. Como é sabido, o campeonato é equiparável a uma corrida de fundo, pois é uma prova que recompensa, acima de tudo, a regularidade. No campeonato, todos os jogos valem o mesmo e esses três pontos são o alimento a que o leão terá de aspirar a cada fim de semana, independentemente do adversário.

O sorteio foi realizado no Porto, durante o evento da Liga
Fonte: Liga Portugal

Falando agora do calendário propriamente dito, aquele que todos os adeptos seguirão qual documento sagrado, terá o efetivo pontapé de saída a 10 de agosto e finaliza no dia 18 de maio do próximo ano. Se o final de campeonato, como vimos, será de exigência máxima para os leões, o início também não será presa fácil.

O “carrossel” de Keizer terá de estar bem engrenado e pronto para arrancar, pois os primeiros três pontos serão disputados na sempre difícil deslocação ao caldeirão do Marítimo, uma equipa que por si só já é custosa de ultrapassar, sobretudo no seu reduto, e que agora conta também com a competência e rigor tático do seu novo treinador: Nuno Manta Santos. De seguida, o Sporting CP fará a sua estreia em Alvalade, nada mais e nada menos, frente ao SC Braga. Para lá da complicada tarefa de defrontar os Guerreiros do Minho, que mais uma vez tentarão o assalto ao pódio, Alvalade receberá também o regresso de um dos seus: Ricardo Sá Pinto, o recém anunciado técnico dos bracarenses.

Nos seguintes fins de semana, a fasquia continuará alta e os pupilos de Marcel Keizer terão verdadeiros desafios pela frente, defrontando equipas como o Portimonense (3ªJ – fora), Rio Ave (4ªJ – casa) e Boavista (5ª – fora). Já na sexta jornada, o Sporting irá receber o recém-promovido Famalicão e posteriormente enfrentará o Desportivo das Aves (7ªJ – fora), o Vitória SC de Ivo Vieira (8ªJ – casa) e, nesta primeira volta, jogará fora duas vezes consecutivas, desta feita com o Paços de Ferreira, na nona jornada, e com o CD Tondela, na seguinte.

Para a jornada posterior, está agendado o primeiro dérbi da temporada leonina, no qual o Sporting medirá forças com o Belenenses SAD, em Alvalade. Depois, para terminar o ano de 2019, os leões deslocar-se-ão a Barcelos para enfrentar o agora primodivisionário Gil Vicente (12ªJ) e, de seguida, têm embate marcado com o Moreirense (13ªJ – casa) e com o Santa Clara (14ªJ – fora). Com a entrada em 2020, o habitualmente frio mês de janeiro trará temperaturas especialmente elevadas para os lados de Alvalade: primeiro, o Sporting recebe o FC Porto, depois visita o Vitória FC e fecha a primeira volta com a receção ao SL Benfica, no sempre quente dérbi eterno.

Em Portugal, a segunda volta é um espelho da primeira e por isso a sequência dos jogos volta a repetir-se da mesma forma a partir de fevereiro – algo que já não acontece em Espanha e Inglaterra e que merece ser debatido também em território nacional. Concluindo, o Sporting só encontrará os rivais diretos em 2020, no fim da 1ª volta, em janeiro, e no final do campeonato, em maio. Logo, se a corrida pelo título for até ao fim, o Sporting terá de fazer o sprint final num caminho extremamente íngreme, onde o Dragão e a Luz serão verdadeiras provas de fogo.

Contudo, para que isso seja possível, a turma de Alvalade terá de chegar bem viva a maio e os jogos anteriores não podem ser descurados. Aliás, na 1ª volta os leões recebem em sua casa todos os clubes que normalmente completam os cinco primeiros lugares da classificação: SC Braga, Vitória SC, FC Porto e SL Benfica – situação que se inverte na 2ª volta, claro está.

Por agora, são vários os artistas da bola que atracam no nosso Portugal e outros tantos os que partem. Uns trazem a esperança e a expectativa, os outros deixam um rasto de saudade ou desilusão. A quantidade obscena de milhões de euros continua a bailar frente aos nossos olhos e as várias promessas e projeções, devidamente coloridas, são uma constante na denominada silly season que agora vivemos. Por enquanto, isto é o que nos vai “enganando a fome”, no entanto, todos sabemos que não há nada como ver a redondinha a passear nos nossos relvados.

O calendário está definido, por isso venha de lá o nosso querido futebol e que o único ruído envolvente seja o indescritível grito de golo.

Foto de Capa: Sporting CP

Comentários