sporting cp cabeçalho 2

Sempre me avisaram de que conforme a idade avança menos paciência se tem para lidar com pessoas que são apenas um enorme desperdício de tempo. É um facto. Quanto mais anos de vida acumulo menos paciência tenho para os chamados “Zequinhas” (roubei a expressão ao Nuno Duarte, mais conhecido por Jel). Ora, quem são esses Zequinhas?

Trocando por linguagem corrente e moderna, são os “Haters”. A única coisa que sabem fazer é criticar destrutivamente e rebaixar aqueles que têm a coragem de fazer alguma coisa. Sim, porque para se fazer, criar, expor as suas criações, sejam elas de que natureza forem, é preciso coragem.

Esta é a coragem que tem de caracterizar aqueles que ocupam os cargos de liderança e que dão a cara pelo projecto que têm em mãos. Qualquer pessoa que se aproveite da sua própria inércia para que o único esforço despendido seja em críticas destrutivas a quem ocupa estes cargos de liderança não é merecedor de qualquer tipo de atenção nem credibilidade. Com a velocidade e a disseminação de informação hoje em dia, cada vez mais as pessoas que ocupam estes cargos de liderança em que têm de tomar decisões são expostos à energia negativa daqueles que não fazem nada. Isto acontece em todas as áreas e o desporto não é excepção.

Quando Bruno de Carvalho foi eleito presidente do Sporting Clube de Portugal, o clube estava a passar pela pior fase de sempre, causada pelo acumular de anos de má gestão. Parece que muitos se esqueceram disso mas foi só há três anos atrás que Bruno de Carvalho chegou ao cargo de maior responsabilidade no clube e começou logo a fazer a diferença no primeiro ano de trabalho. Não é preciso uma análise muito meticulosa ou profunda; basta termos em conta o rendimento de Adrien para compreendermos a influência e o trabalho positivo de BdC. Após, emprestado ao Académica de Coimbra, ter sido um dos protagonistas do clube, ajudando-o a vencer a taça de Portugal numa final frente ao Sporting, Adrien travou uma guerra com a direcção de Godinho Lopes para renovar o contrato com o clube. Levou a sua avante, teve um tremendo aumento de ordenado e uma valorização que não se refletiu de maneira nenhuma nos relvados, sendo para mim uma das maiores desilusões da altura, tendo em conta as expectativas que tinha nele.

Anúncio Publicitário
Um dos muitos exemplos das estratégias dos indolentes. Fonte: Sporting CP
Um dos muitos exemplos das estratégias dos indolentes
Fonte: Sporting CP

A verdade é que o crescimento e o rendimento de Adrien como jogador e a sua importância indiscutível para o Sporting começam com a posse de BdC como presidente e Leonardo Jardim como treinador, num percurso que o tornou hoje no capitão de equipa, admirado por qualquer adepto do clube, ou de futebol. Adrien é apenas um exemplo duma análise muito supérflua ao bom trabalho e à influência positiva que, de uma forma geral, Bruno de Carvalho tem feito no Sporting CP.

É indiscutível que durante estes anos tem sido um presidente dedicado a defender o clube que representa e as suas convicções, por vezes fazendo-o de forma demasiado emotiva e pouco racional (minha opinião), tomando algumas decisões aparentemente arriscadas, com o objectivo de devolver ao Sporting a grandeza que definitivamente caracteriza e deve caracterizar o clube.