Um problema de duas partes. Se, por um lado, o presidente do Sporting Clube de Portugal adotou uma postura austera e em nada benéfica ao clube e aos seus adeptos, por outro, os jogadores perderam a credibilidade toda quando fizeram aquilo que tanto criticaram – manifestar a insatisfação em público e não no grupo. Bruno de Carvalho esteve mal, muito mal. Os jogadores pioraram ainda mais a situação. Um problema de duas partes, que tem um principal prejudicado: o Sporting Clube de Portugal!

Guilherme Anastácio, redator do Sporting CP

Os adeptos são o maior património do Sporting. E foram os mais prejudicados por toda esta vergonha
Fonte: Sporting Clube de Portugal

Assisti a esta situação toda com uma perplexidade enorme. Senti também a revolta porque os jogadores não deram o melhor de si; percebi o sentido que o Presidente (que neste conflito não tem nada de senhor) quis dar à publicação no Facebook. Contudo, esta deveria ser para desculpar os NOSSOS erros, a NOSSA falta de concentração e prometer que IRÍAMOS honrar a camisola do Sporting Clube de Portugal. Isso não está a acontecer e, honestamente, não irá acontecer até ao final da época. Ele é o Bruno de Carvalho e, apesar de partilharem um “de”, não é o Sporting Clube de Portugal. Ele é a cara, não a essência; é o cérebro, mas não o coração.

Senti que estava a assistir aos fogos de Agosto, em que estava a 300 quilómetros da minha casa e sentia-me completamente impotente para poder serenar o Inferno que se estava a passar. Tornei-me céptica em relação a toda a informação e contra-informação dada nestes dias. Senti-me anestesiada, tal e qual quando morre alguém, e tenho que me perguntar se o que se passou é mesmo verdade, e na minha cabeça só paira a pergunta “e agora?”. Agora, sou eu que digo: Bruno, o Sporting é feito de TODOS e tu, és feito de Sporting. Nunca penses o contrário.

Marta Reis, sub-editora da Secção do Sporting CP

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal

artigo revisto por: Ana Ferreira