«Depois dos primeiros seis meses no Sporting, fui contactado para jogar no FC Porto» – Entrevista BnR com Leandro Grimi

    «Paolo (Maldini) era o capitão e foi então que fez uma chamada e disse “Se o Grimi não receber o prémio desta competição, eu também não recebo”, em menos de 20 minutos tinha o dinheiro na conta».

    Bola na Rede: Podemos saltar agora para algumas curiosidades que queiras partilhar connosco sobre a tua carreira?

    Leandro Grimi: Sim claro, espero ter algo de interessante para compartilhar convosco.

    Bola na Rede: Há algum treinador e plantel que o tenha marcado nestes anos de carreira?

    Leandro Grimi: Treinadores tive muitos que me identifiquei, posso afirmar que gostei de trabalhar com 85% deles, por isso acho que não vale a pena estar a dizer nomes, se não esqueço-me de algum e depois eles chateiam-se comigo (risos). Em relação ao plantel, desportivamente, acho que não há dúvida nenhuma, foi o do AC Milan.

    Bola na Rede: Tens assim alguma história que te tenha marcado na experiência no AC Milan?

    Leandro Grimi: Não sei se deva contar porque nunca disse a ninguém (risos). Mas nesse ano que estive no Milan, foi o ano em que eles venceram a Champions League e o prémio dessa competição é muito maior do que o de vencer o campeonato. Quando ganharam, nesse mesmo dia o Gattuso vem ter comigo e diz “Leandro já recebeste o teu prémio?” e eu respondi não, esse prémio não me pertence, é vosso e merecem-no. Eu não fui inscrito na competição porque quando cheguei coincidiu com a chegada do Massimo Oddo e do Ronaldo Fenômeno e foram eles que ficaram com as vagas. Foi então que apareceu o Maldini que partilhava da mesma opinião do Gattuso, como eu acompanhava a equipa para todo o lado e estava sempre presente eles achavam que também merecia o prémio, mas eu não queria porque não queria causar problemas dentro do clube e disse isso a eles os dois. Mas o Paolo (Maldini) era o capitão, um jogador muito respeitado e um dos melhores de sempre e foi então que fez uma chamada e disse “Se o Grimi não receber o prémio desta competição, eu também não recebo”, em menos de 20 minutos tinha o dinheiro na conta (risos). São estas pequenas coisas que nos mostram quem são os verdadeiros líderes, com grandes gestos por de trás da cortina sem ninguém saber, e disseram-me para o assunto ficar por ali e não partilhar com ninguém e foi o que eu fiz até ao dia de hoje (risos).

    Bola na Rede: Dada a amizade com o Marcus Acuña, tiveste alguma coisa a ver com a vinda dele para o Sporting CP?

    Leandro Grimi: Mais ou menos, quando soube que poderia haver essa possibilidade liguei-lhe e disse-lhe que tinha de vir, que ia ser bem recebido e que ia acabar a gostar muito do clube e da cidade. A verdade é que tive razão, acabou a ficar alguns anos e se não me engano é o argentino com mais jogos no Sporting CP. Depois as suas grandes exibições trataram do resto, assinou pelo Sevilha, sei que a dado momento poderia ter assinado com o Inter e ir para Itália, é um jogador esplêndido e muito boa pessoa. Hoje é o defesa esquerdo titular da Argentina.

    Bola na Rede: Enquanto jovem e mesmo agora, teve ou tem algum jogador que considerava um ídolo?

    Leandro Grimi: Sim, na minha posição era entre o Maldini e o Roberto Carlos, mas sempre me identifiquei mais com o Maldini, e então quando o conheci pessoalmente a preferência e admiração multiplicaram-se por mil. E depois como é óbvio tinha o Maradona.

    Bola na Rede: Tem algum melhor amigo no mundo do futebol?

    Leandro Grimi: Um deles é sem dúvida o Acuña, mas em todos os planteis que passei tive sempre a sorte de me cruzar com grandes pessoas que se tornaram amigos até aos dias de hoje.

    Bola na Rede: Neste momento quais são os teus planos para o futuro? Planeias continuar no mundo do futebol?

    Leandro Grimi: Sim, já terminei o curso de treinador na Argentina, durou quatro anos, mas não é compatível, não da equivalência para Portugal. Devido a isso estou a ponderar começar a tirar o curso de treinador cá. Mas existe a possibilidade de regressar à Argentina e exercer essas funções. Tive propostas para diretor desportivo e para outros cargos dentro dos clubes, mas a verdade é que de momento estou a preparar-me mais para o cargo de treinador. Tenho assistido a muitos treinos e jogos que ache interessantes, por exemplo fui assistir a duas semifinais da Champions League, uma do Liverpool e outra do Manchester City.

    Bola na Rede: Atualmente, há algum treinador ou estilo de jogo que te identifiques para quando mais tarde seguires essa mesma carreira?

    Leandro Grimi: Tendo em conta aquilo que considero bom futebol, que é uma opinião muito pessoal, gosto muito do estilo de jogo do Guardiola e do Klopp acho que melhoraram muito aquilo que é o futebol atual. São os dois muito inteligentes e tornam o futebol mais bonito. Sempre admirei também o Ancelotti, é um treinador muito bom com grandes ideias, mas acho que o Guardiola e o Klopp vieram aperfeiçoar aquilo que ele fazia.

    Bola na Rede: Para concluir! Estamos em ano de Mundial, se surgir a final Portugal x Argentina quem vais apoiar (risos)?

    Leandro Grimi: A Argentina claro (risos). Vou estar também a torcer por Portugal e se chegarem à final com outra seleção, quero que ganhem, mas em primeiro está a Argentina. Até em minha casa, apesar de vivermos em Portugal, há mais argentinos que portugueses, os meus primeiros dois filhos nasceram na Argentina como eu e a minha mulher e a última filha são portuguesas, por isso fica 3×2 (risos).

    Bola na Rede: Muito obrigado e muito sucesso no teu futuro! Agora numa função diferente, mas esperamos ver-te em breve de volta aos relvados portugueses.

    Leandro Grimi: Obrigado, foi um gosto e muito sucesso para vocês também!

    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Flávio Fernandes
    Flávio Fernandeshttp://www.bolanarede.pt
    Licenciado em Ciências da Comunicação, o Flávio sempre foi um amante do desporto e um fanático pelo futebol. Com uma passagem pelos quadros de formação do FC Felgueiras 1932, preferiu pendurar as botas mais cedo e ir em busca da sua formação académica. Acompanha assiduamente o futebol internacional e não falha um único jogo do seu grande FC Porto.