O Sporting CP, até ao momento, tem vindo a realizar uma campanha exemplar na Primeira Liga. Seja em Alvalade ou fora, os leões mostram ser uma equipa (no verdadeiro sentido da palavra) extremamente coesa e confiante, sólida a defender e oportunista no ataque, pois, como já foi visto, conseguem marcar em qualquer momento do jogo.

Para ocupar a posição que a turma de Alvalade ocupa, é lógico que são necessárias várias vitórias; no entanto, o caso dos leões de Rúben Amorim, nesta época, é, no mínimo, um caso de estudo. Apesar de também ter grandes registos quando joga na condição de visitante, os leões apresentam uma forma impressionante quando jogam na sua casa.

No Estádio José Alvalade e, recordando uma vez mais, a contar para a Primeira Liga, os leões, em 12 jogos, somam dez vitórias (entre elas, frente a SL Benfica e SC Braga) e dois empates (contra o FC Porto e o Rio Ave FC). Para além disso, apenas sofreram seis golos em Alvalade (melhor defesa do campeonato a jogar em casa) e já abanaram as redes adversárias por 23 ocasiões (segundo melhor ataque em jogos caseiros).

Após a constatação destes registos bastante positivos dos leões no seu reino, gostava de realçar uma mera curiosidade quando era possível haver adeptos nos estádios, o Sporting CP gostava de atacar, na segunda parte, para a Curva Sul e, consequentemente, para a baliza Vítor Damas, como se isso desse sorte e como se a força dos adeptos atraísse a bola para dentro da baliza, acabando por resolver o jogo.

Anúncio Publicitário
O Sporting CP mantém a invencibilidade e o registo impressionante no seu reduto
Fonte: Carlos Silva/ Bola na Rede

Agora sem adeptos, parece que essa superstição e essa mística continuam. Sem nenhum auxílio, recordo-me de diversos golos importantes naquela baliza; o do Matheus Nunes contra o SL Benfica, o do Seba Coates contra o CD Santa Clara, o do Pote frente ao SC Braga e muitos mais aconteceram, certamente.

Acho graça quando adeptos dos rivais dizem que o Sporting CP só está em primeiro porque os adeptos não podem ir ao estádio. Quem acha que a massa adepta dos leões é uma fraqueza, está redondamente enganado, mas que continue a pensar assim. Enquanto essa forma de pensar só ofusca a realidade a quem não a quer aceitar, a nós só nos dá mais força e nos empurra para o objetivo final. Se estamos assim com os estádios vazios, imaginem com a ajuda de mais 50 mil leões. Estaríamos (ainda mais) imparáveis.

Por fim, gostava apenas de relembrar que, para concretizar uma época invencível em casa, falta apenas defrontar o FC Famalicão, o B SAD, o CD Nacional, o Boavista FC e o CS Marítimo. Em princípio, e sem querer agoirar, serão jogos em que o Sporting CP tem tudo para, no mínimo, fazer boa figura.