O Sporting visitou neste final de tarde, o Municipal de Arouca num jogo a contar para a 27ª jornada da Liga NOS. A equipa comandada por Jorge Jesus apresentou-se no seu habitual 4-4-2 com apenas uma alteração face à jornada anterior colocando Bruno César no lugar de Matheus Pereira. Já o Arouca procurava os primeiros pontos após uma série de 6 jornadas onde só conhecia o sabor da derrota. No primeiro jogo do novo e terceiro técnico esta época após a saída de Lito Vidigal e mais recentemente Manuel Machado, o treinador Jorge Leitão apresentou o habitual 4-3-3 da turma arouquense mas com 4 alterações colocando Sinan Bolat, Vitor Costa, Adilson e Mateus no onze titular. O Sporting controlou ao seu ritmo e acabou por vencer por 2-1, com os golos a serem apontados ainda na primeira parte.

Apesar da vitória a tarefa em Arouca não foi trabalho fácil e os jogadores também complicaram ainda mais. Se em termos colectivos a equipa leonina se demonstrou pouco, a nivel individual não esteve muito melhor. Apesar de algumas primeiras iniciativas da parte dos Leões, foi aos 9 minutos e na primeira e unica aproximação dos arouquenses durante o primeiro tempo, Mateus aproveitou a passividade e a moleza da defesa leonina para abrir o marcador, após o cruzamento de Vitor Costa que teve tempo e espaço para cruzar onde Marvin Zeegelaar não abordou o lance da melhor forma. A primeira resposta do Sporting vem num lance de Gelson Martins onde Sinan Bolat travou o remate com uma bela defesa. No entanto, ao minuto 34 não se conseguiu opor ao remate de Alan Ruiz que após assistência de Gelson Martins consegue concluir com uma jogada de belo efeito. O Sporting passava pelo seu melhor periodo e sinal disso foi após ter chegado à igualdade, foi necessário apenas mais dois minutos para chegar à liderança do marcador. Zeegelaar ganhou o duelo na esquerda com Anderson Luis e faz o cruzamento a servir Bruno César, que no regresso à titularidade e com um pouco de sorte, viu o seu remate ser desviado e a enganar Sinan Bolat e colocar o Sporting em vantagem no marcador.

Se há jogos em que a segunda parte é totalmente dispensada hoje foi um desses casos. Depois da reviravolta e de poucos mas ainda alguns lances de perigo, na segunda metade ambas as equipas nada acrescentaram ao nível de jogo. O Arouca tentou circular mais a bola mas raramente atacou, onde nem sequer chegou a testar Rui Patricio. Já o Sporting aproveitou para controlar o resultado num ritmo baixo e jogar na expectativa, jogando de forma mais cautelosa procurando defender mais a curta vantagem do que propriamente matar o jogo com um terceiro golo. Os leões aproveitaram assim da melhor forma o empate entre Benfica e Porto para encurtar distâncias, para oito e sete pontos respectivamente, continuando a alimentar o dificil mas ainda possivel sonho do titulo.