logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Sporting

Os 3 bons emprestados que ao Sporting CP podem tornar

Dar ao próximo é um ato de bondade, mas dar a quem não seja tão próximo também ilustra uma situação na qual se pratica o Bem. Jesus disse que “há mais felicidade em dar do que em receber” porque “Deus ama a quem dá com alegria”. Contudo, relega completamente a ação de emprestar em troca de lucro, prática que traduz altruísmo. Em Portugal, se emprestar um garfo, não obtém um faqueiro completo. E, se emprestar 20 euros, está a dadivar ingenuamente. No fundo, cumprimos mais do que o que nos ensinam.

Nuno Mendes ludibriou Jesus Cristo e fugiu com as suas profecias. Ao que parece, o Sporting CP receberá uma boa quantia pelo empréstimo do lateral-esquerdo ao PSG. A moralidade do empréstimo continua intacta. Se o Criador fosse contemporâneo de Nuno Mendes, alterava metade dos escritos bíblicos. A menos que o clube francês tenha, por hábito, presentear tudo e todos.

Futebolisticamente escrevendo, emprestar um jogador denota uma estratégia simpática de dizer “nós adoramos cozinhar e fazer bons petiscos com os alimentos que possuímos, mas tu ainda nem descongelado estás”. O público, quando enxerga qualidade no mártir, tende a alegrar-se porque “o jogador vai rodar, ganhar ritmo e espírito competitivo noutro lado com o objetivo de se tornar opção viável no clube”. Alguns até aprendem malabarismos novos, passam a exercer a sua tutela quando regressam e espantam a massa adepta. O futebol tem destas coisas.

Para 2022/2023, Rúben Amorim poderá convocar alguns dos talentosos Sebastiões a integrar a equipa principal do Sporting novamente. Segue, sem preferência ou ordem, uma mera contribuição.

Em primeira mão, a informação que considera útil: cruza pensamentos, cabeceia análises sobre futebol e tenta marcar opiniões sobre o universo que o rege. Depois, o que considera acessório: Romão Rodrigues, estudante universitário e apaixonado pelas Letras.                                                                                                                                                 O Romão escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Em primeira mão, a informação que considera útil: cruza pensamentos, cabeceia análises sobre futebol e tenta marcar opiniões sobre o universo que o rege. Depois, o que considera acessório: Romão Rodrigues, estudante universitário e apaixonado pelas Letras.                                                                                                                                                 O Romão escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA