Como quantificar um Amor?

    Sempre ouvi dizer que tudo tem um preço, que há até quem vendesse a sua mãe se fosse necessário, expressão excessiva a querer apenas ilustrar o amor maior que existe, o de uma mãe a um filho/filha que não deveria ser possível mensurar.

    A verdade é que tudo é quantificável, dependendo do nível de apego que o detentor tenha ao que o investidor pretende adquirir. A questão mais preocupante é perceber que a sociedade cada vez menos dá valor ao que sente e mais ao que pode ter, ao que pode comprar, ou à vantagem financeira que ter alguma coisa lhe pode garantir.

    Já poucos são os que dão valor às demonstrações de afecto, preferindo escolher quem lhes possa comprar tudo o que desejam, o que não deixa de ser uma demonstração de afecto mas que vai desvanecendo conforme o poder de compra.

    Sporting
    Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

    Relativamente aos “Sportinguistas” que estão a vender os seus lugares em Alvalade a sócios e adeptos rivais estão no fundo a vender-se e a vender o seu” amor” ao Sporting por algumas dezenas de euros, quiçá centenas. Pouco importa o valor.

    Bem sei que há quem defenda que “amor com amor se paga” e há sócios leoninos que estão desiludidos com o Sporting, o que os faz pensar que se o seu clube não retribui com o mimo de “títulos” que eles esperam então também não têm a obrigação de o amar. A questão é que o verdadeiro amor é incondicional.

    Não podem fazer juras de amor e vir depois traí-lo por géneros. Ou amas ou não amas. Não se ama mais ou menos dependendo do que o outro lado nos dá. Se deixares de amar tens apenas de o assumir e dar lugar a outro que verdadeiramente ame.

    Mas pior do que deixar de amar é, antes de deixares o lugar livre, conhecendo tu de antemão quem ocupará o lugar, garantires pelo menos que não fica entregue a alguém que vai fazer tudo o que estiver ao seu alcance para que tudo de mal aconteça ao que era supostamente objeto do teu “Amor”. Ou então nunca foi amor. Isso é pior que traição, é uma atitude que demonstra ódio, porque, para além de abandonares esse amor ainda deixas no lugar quem sabes o irá tentar prejudicar.

    Amor não se explica, sente-se. Mas não se compra, nem sem vende.

    Se vendeste não é Amor, nunca foi, porque o abandonaste quando ele mais precisou.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    PUB

    spot_img

    Artigos Populares

    Nuno Almeida
    Nuno Almeidahttp://www.bolanarede.pt
    Nascido no seio de uma família adepta de um clube rival, criou ligação ao Sporting através de amigos. Ainda que de um meio rural, onde era muito difícil ver jogos ao vivo do clube de coração, e em tempos de menos pujança futebolística, a vontade de ser Sporting foi crescendo, passando a defender com garras e dentes o Sporting Clube de Portugal.